PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Cotação de Cripto

Por que Warren Buffett não está entusiasmado com criptomoedas?

O CEO da Berkshire Hathaway diz que prefere concentrar sua atenção - e recursos - em ativos tangíveis e produtivos

Warren Buffett, presidente e CEO da Berkshire Hathaway, e Charlie Munger, VP, na reunião anual da empresa.
01 de Maio, 2022 | 01:46 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg Línea — Ao contrário do que alguns bilionários falam sobre o potencial das criptomoedas, Warren Buffett diz que não as vê como produtivas e que prefere ativos que sejam.

Na maratona da reunião anual da Berkshire Hathaway, o presidente e CEO desse empório industrial e financeiro disse que não compraria bitcoin (BTC) mesmo a um preço fixo porque não saberia o que fazer com esse criptoativo.

PUBLICIDADE

Diante da plateia, composta por acionistas da empresa, além de analistas e representantes da mídia, Buffett, que elogiava o dinheiro, disse que se os presentes ali “eram os donos de todas as terras cultiváveis dos Estados Unidos” e eles ofereceram a ele uma participação de 1% por US$ 25 bilhões, “eu passaria um cheque para eles”.

Em vez disso, ele disse que se lhe oferecessem todos os bitcoins por um preço, “eu não aceitaria porque não saberia o que fazer com eles (...) disse.

“Na minha vida eu tento evitar coisas que são estúpidas, más e me fazem parecer mal comparado a outra pessoa. E o bitcoin faz todos os três.”

Charlie Munger

O líder empresarial referiu-se às criptomoedas como ativos que não representam o seu valor nem oferecem solidez a quem nelas investe, comparando-a de certa forma com quem pretende fazer as suas próprias notas.

PUBLICIDADE

“Por que você não os chama de moeda Buffett?”, disse o CEO. “Crie a sua própria (criptomoeda)… Isso explica a diferença entre ativos produtivos e algo que depende de outras pessoas pagarem mais por um ativo do que outras.”

Preso no campo da especulação, Buffett recorreu a uma metáfora levando em conta o valor subjetivo que é atribuído às obras de arte.

“Certas coisas têm um valor que algo tangível não produz”, disse Buffett. “Você poderia dizer que uma grande pintura provavelmente terá algum valor daqui a 500 anos. Talvez não, mas as chances são muito boas, se for um nome grande o suficiente (”…) Basicamente, ativos para ter esse valor, eles têm que dar algo a alguém. E há apenas uma moeda que é aceitável nos EUA.”

Charlie Munger, vice-presidente da Berskshire Hathaway e parceiro e ajudante de Buffett por várias décadas, resumiu a aversão ao mundo das criptomoedas:

“Na minha vida eu tento evitar coisas que são estúpidas, más e me fazem parecer mal comparado a outra pessoa. E o bitcoin faz todos os três.”

De acordo com Munger: “(Bitcoin) é estúpido porque certamente valerá zero, é maligno porque mina o sistema do Federal Reserve e nos faz parecer tolos em comparação com o líder comunista da China”, que baniu o bitcoin.

Warren BuffettBerkshire HathawayBloomberg LíneacriptoBitcoinÚltimas Brasil
Alejandro Ángeles

Alejandro Ángeles

Periodista con más de 20 años de experiencia en medios digitales e impresos. Ha trabajado para medios como Forbes México, New York Times, Yahoo, HuffPost, Milenio, El Universal y CNNMéxico, así como Grupo Expansión. Estudió Letras Inglesas en la UNAM.

PUBLICIDADE