PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Mercados

Petróleo estende queda com traders olhando impacto da demanda na China

Lockdowns no maior consumidor do mundo estão afetando o consumo de combustíveis, dizem autoridades

Polonia
Por Alex Longley e Elizabeth Low
28 de Abril, 2022 | 08:23 am
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — Os preços do petróleo eram negociados perto de US$ 103 o barril, enquanto o surto de vírus na China continua a pesar nas perspectivas para a demanda global.

Os futuros do West Texas Intermediate (WTI) buscam uma direção esta semana, apagando perdas anteriores para negociar perto da estabilidade nesta quinta-feira (28). Hangzhou é a mais recente cidade chinesa a iniciar testes em massa de vírus, enquanto o principal processador de petróleo estatal do país disse durante uma teleconferência de resultados que o ressurgimento do vírus estava diminuindo a demanda por combustível.

O mercado de petróleo foi dominado por um período volátil de negociação desde a invasão da Ucrânia pela Rússia no final de fevereiro e o mais recente retorno da covid-19 à China. Os traders também estão se debatendo com o tamanho do impacto na oferta russa. O aumento dos preços dos produtos petrolíferos - os futuros de diesel dos EUA estão em um recorde - apontam para um mercado subjacente apertado para produtos refinados.

“É notável como acabamos com essa negociação lateral”, disse Hans van Cleef, economista sênior de energia do ABN Amro. “A menor demanda devido aos lockdowns chineses está equilibrando totalmente os temores de oferta de menores exportações da Rússia”.

PUBLICIDADE

O ministro das Finanças da Rússia disse que a produção de petróleo do país pode cair até 17% este ano, já que os compradores evitam o petróleo do país. Os EUA e o Reino Unido estão proibindo as importações do produtor da Opep+, enquanto a União Europeia discute medidas semelhantes. A Alemanha disse estar preparada para apoiar uma proibição gradual.

Preços do petróleo

  • O WTI para entrega em junho subia 0,9%, para US$ 102,89 o barril às 6h56, horário de Brasília
  • O Brent para liquidação de junho avançava 0,7%, para US$ 106,10

Não são apenas os mercados de diesel que estão fortes ultimamente. Na quarta-feira, os lucros da transformação de petróleo em gasolina foram os mais altos desde 2013 nos EUA. Isso ocorreu depois que os estoques do combustível caíram pela quarta semana.

A Costa Leste dos EUA está sofrendo o impacto do aperto em parte porque a redução da capacidade de refino levou a uma maior dependência dos embarques da Costa do Golfo dos EUA. No entanto, os processadores da Costa do Golfo estão exportando mais combustível com um prêmio, já que os compradores na América Latina e na Europa substituem a oferta russa.

Leia também

Saque em moeda estrangeira cresce em caixas eletrônicos no Brasil