Internacional

Surtos de covid na China mostram alguns sinais de estabilização

O centro financeiro permanece em um bloqueio sem precedentes que deixou grande parte dos 25 milhões de moradores da cidade confinados

Pessoas esperam na fila para testes no distrito de Chaoyang, em Pequim
Por Bloomberg News
27 de Abril, 2022 | 04:03 PM

Bloomberg — Xangai insinuou uma flexibilização dos lockdowns após as infecções de coronavírus caírem para o menor nível em três semanas, enquanto o número de novos casos em Pequim permaneceu abaixo de 50, em um possível sinal de que as autoridades começam a controlar os dois surtos.

Os casos em Xangai caíram pelo quarto dia consecutivo, para 13.562, embora a cidade tenha registrado outras 48 mortes.

O centro financeiro permanece em um bloqueio sem precedentes que deixou grande parte dos 25 milhões de moradores da cidade confinados em suas casas por um mês ou mais, mas uma autoridade sinalizou nesta quarta-feira (27) que pode haver alguma flexibilização para certas áreas.

Moradores participam de uma rodada de testes de covid em Xangai em 27 de abrildfd

A cidade permitirá movimento limitado de alguns grupos de pessoas em distritos onde basicamente não há disseminação do vírus, Zhao Dandan, vice-diretor da comissão municipal de saúde, disse em um briefing hoje (27) sem fornecer mais detalhes. Uma rodada anterior de flexibilização para conjuntos habitacionais sem novas infecções fez pouco para livrar moradores de seu confinamento.

PUBLICIDADE

O Alipay, o aplicativo de pagamento por celular desenvolvido pela Ant do bilionário chinês Jack Ma, adicionou novas funções que permitem que residentes de Xangai façam upload de suas autorizações de retorno ao trabalho e de entrada.

Os recursos provocaram especulações nas mídias sociais da China de que a cidade está se preparando para o que poderia ser um afrouxamento gradual das restrições. Xangai também retomou o serviço de entrega de pacotes de longa distância na terça-feira (26).

Pequim relatou 46 casos locais de covid entre a tarde de terça-feira e a de quarta-feira, após a cidade começar a testar milhões de moradores - cerca de 19,8 milhões de amostras foram coletadas - para identificar e eliminar a propagação da variante ômicron antes que fique fora de controle.

PUBLICIDADE

Quase um terço dos 138 casos locais relatados em Pequim desde sexta-feira são estudantes e crianças pequenas, em seis escolas e duas creches. Uma escola relatou 36 infecções entre seus alunos.

As autoridades pediram a moradores que se apresentem para testes, a fim de ajudar a controlar o surto.

China expandiu os testes de covid para a maior parte de Pequimdfd

Os surtos do vírus em duas das cidades mais importantes da China representam um desafio sem precedentes para a estratégia Covid Zero que o país implementa para acabar com as infecções.

Yiwu, na província oriental de Zhejiang, também foi fechada na quarta-feira, causando outro golpe nas cadeias de suprimentos globais, devido à sua proeminência como centro de bugigangas de consumo.

Comerciantes de todo o mundo lotam a cidade de 1,9 milhão de habitantes para comprar desde enfeites de Natal até mercadorias da campanha presidencial dos EUA.

Veja mais em bloomberg.com

Leia também

PUBLICIDADE

Quem são os destaques de Finanças entre as 50 Mulheres de Impacto

Seguros dos carros mais vendidos do país custam até R$ 18,3 mil; veja preços