PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Cripto

Surge primeiro produto negociado em bolsa que une Bitcoin e ouro

O produto aposta no poder de proteção de carteira do ouro com os retornos “fortes” da criptomoeda mais conhecida

O ETP vai recalibrar as exposições todo mês em proporção inversa ao risco, em um esforço de gerenciar a volatilidade e aumentar os retornos
Por Denitsa Tsekova
27 de Abril, 2022 | 04:24 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — O primeiro produto negociado em bolsa que combina Bitcoin (BTUSD) e ouro foi lançado na Europa para oferecer a dupla possibilidade de retornos de longo prazo e proteção contra inflação, pelo menos em tese.

PUBLICIDADE

O ETP (Exchange Traded Products, na sigla em inglês) inovador pretende reunir “o melhor do velho e do novo mundo das finanças” ao apostar no poder de proteção de carteira do ouro com os retornos “fortes” da criptomoeda mais conhecida, disseram os emissores em comunicado.

O 21Shares ByteTree BOLD ETP é fruto de uma parceria entre o provedor suíço de ETPs cripto 21Shares e do provedor de investimentos alternativos ByteTree do Reino Unido.

PUBLICIDADE

“O ouro tem historicamente fornecido proteção de portfólio em ambientes inflacionários, enquanto o Bitcoin é o equivalente digital do ouro com crescente adoção pelos investidores como uma classe de ativos distinta e uma reserva central de riqueza”, disse Charlie Erith, CEO da ByteTree, em comunicado.

“Em um momento de inflação estrutural crescente e risco geopolítico elevado, acreditamos que isso pode atuar como um importante diversificador de risco e retorno em um portfólio equilibrado,” disse.

O ouro, o menos volátil dos dois ativos, recebeu um peso inicial maior de 81,5%. O ETP vai recalibrar as exposições todo mês em proporção inversa ao risco, em um esforço de gerenciar a volatilidade e aumentar os retornos.

Correlação entre o ouro e o Bitcoin está próximo das mínimas de 2018dfd

Muitos participantes do mercado ainda desconfiam da adequação do Bitcoin como um possível hedge contra a inflação, especialmente à luz da recente correlação negativa entre criptomoedas e ouro.

O coeficiente de correlação entre o Bitcoin e o metal precioso nos últimos 50 dias está em torno de -0,4, seu nível mais baixo desde 2018. A escala varia de -1 a 1, com uma leitura de 1 sinalizando que os ativos estão se movendo em sincronia, enquanto - 1 significa o contrário.

PUBLICIDADE

Nossa equipe acredita que é mais apropriado descrever ouro e Bitcoin como ativos complementares em um portfólio, em vez da narrativa comum de que um substitui o outro”, disse James Seyffart da Bloomberg Intelligence. “Talvez, com o tempo, o Bitcoin exiba características mais semelhantes ao ouro, mas, no momento, o Bitcoin ainda é um ativo de risco em nossa opinião.”

Embora o ETP que combina Bitcoin e ouro seja o primeiro, o conceito de ganhar com os dois ativos não é.

O Incrementum Digital & Physical Gold Fund, lançado em Liechtenstein em 2020, aloca investimentos entre criptomoedas e ouro. Possui cerca de 20 milhões de euros (US$ 21 milhões) em ativos.

Veja mais em bloomberg.com

Leia também

Brasil segue líder das empresas mais valiosas da América Latina; veja ranking

Seguros dos carros mais vendidos do país custam até R$ 18,3 mil; veja preços