PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Cripto

Bitcoin cai para o mínimo de seis semanas com perspectiva do aperto do Fed

A maior criptomoeda caiu 3,3%, para US$ 38.223, o menor desde 15 de março, e caiu mais de 20% em relação à alta do mês passado

Bitcoin, a maior criptomoeda em viés de baixa
Por Joanna Ossinger
25 de Abril, 2022 | 08:29 am
Tempo de leitura: 1 minuto

(Bloomberg) – O Bitcoin ampliou as perdas deste mês nas negociações de segunda-feira, com os investidores se afastando dos ativos de risco em meio à perspectiva do aperto da política do Federal Reserve.

A maior criptomoeda caiu 3,3%, para US$ 38.223, o menor desde 15 de março, e caiu mais de 20% em relação à alta do mês passado. A segunda maior moeda, o Ether, caiu 4,8%, para US$ 2.799, um nível não visto desde 18 de março.

PUBLICIDADE

Os gráficos de preços estão sinalizando que mais declínios são prováveis, dizem analistas técnicos. O Bitcoin caiu abaixo do suporte à nuvem Ichimoku em um gráfico semanal, com o suporte secundário chegando apenas a US$ 27.200, disse Katie Stockton, fundadora e sócia-gerente da Fairlead Strategies.

Gráfico mostra a queda do Bitcoin nas últimas semanasdfd

“O Bitcoin parece estar quebrando uma tendência fundamental de dois meses na retração de sexta-feira que provavelmente causa fraqueza para testar as baixas de janeiro”, escreveu Mark Newton, estrategista técnico da Fundstrat, em uma nota de pesquisa na sexta-feira.

Ele espera um recuo inicial para US$ 36.300, “mas quebras desse nível devem levar a um novo teste completo de US$ 32.950 sem muitos problemas”.

PUBLICIDADE

Apesar de todas as suas perdas recentes, o Bitcoin permanece no meio de uma faixa de negociação que se manteve desde o início do ano, entre cerca de US$ 35.000 a US$ 45.000. A moeda digital se move fortemente em linha com o Nasdaq 100, pesado em tecnologia, e está negativamente correlacionado com o dólar.

Com a expectativa de que o Fed aumente as taxas em passos de 50 pontos-base nos próximos meses para combater a inflação, alguns dos fatores que impulsionaram os ganhos estelares das criptomoedas nos últimos dois anos estão se revertendo.

“À medida que se torna mais valioso manter dólares, alguns investidores podem realocar Bitcoin ou ouro para o dólar”, escreveu uma equipe de Nydig em um relatório na sexta-feira. “Assim como a correlação negativa do Bitcoin com o dólar, a correlação negativa do Bitcoin com as taxas reais só surgiu nos últimos dois anos.”

O Bitcoin ainda será impulsionado principalmente por fatores fundamentais, como crescimento de usuários e uso da rede, mas é importante entender as relações macro em evolução, disseram eles.

© 2022 Bloomberg L.P.

BitcoinÚltimas Brasilcripto
PUBLICIDADE