Agro

Itaú ganha tração no agro com aquisição de marketplace bilionário de insumo

Itaú BBA anunciou nesta semana a compra de 12,82% do capital da Orbia, marketplace nascido em 2019 que faturou R$ 1 bilhão no ano passado

Itaú compra participação em marketplace do agronegócio para financiar compras em ambiente digital
24 de Abril, 2022 | 08:24 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg Línea — O Itaú BBA anunciou nesta semana a compra de 12,82% do capital da Orbia, um marketplace nascido em 2019, especializado na comercialização de produtos para o agronegócio. O valor da operação não foi revelado, mas o banco passa a ser o terceiro maior acionista da empresa, junto com Bayer (59,98%), Bravium (14,99%) e Yara Brasil (12,21%) e faz parte da estratégia de se transformar no maior agente financeiro do agronegócio nos próximos anos.

O banco informou que pretende finalizar o ano com R$ 72 bilhões em crédito concedido ao setor. Se confirmado, o montante vai representar um crescimento de 20% em comparação aos R$ 60 bilhões emprestados no ano passado, quando o setor representou 6% da carteira de crédito do Itaú Unibanco (ITUB4).

Por trás da estratégia do banco em entrar em um marketplace do setor está a aposta do Itaú no crescimento da digitalização da compra dos produtores rurais do Brasil. Atualmente, a imensa maioria das aquisições de insumos agrícolas ainda ocorre da forma tradicional, por meio da comercialização presencial.

“A migração da jornada de compra do produtor para o digital é uma tendência e queremos ser o provedor de soluções financeiras dentro da plataforma. No B2C, as compras praticamente não envolvem tanta necessidade de financiamento, diferente do que acontece no agronegócio, onde o financiamento é o primeiro passo para as compras”, disse em entrevista à Bloomberg Línea Pedro Barreto Fernandes, diretor de agronegócios do Itaú BBA.

PUBLICIDADE

Segundo o executivo, hoje, o limite de crédito do produtor está relacionado com o limite de crédito que a revenda onde ele adquire os insumos possui. A ideia é que o limite de crédito seja do produtor para que ele possa ter a liberdade de escolher de qual revendedor comprar. “É uma mudança do centro de poder financeiro”, diz Fernandes.

Apesar da compra de insumos agropecuários via digital ainda ser pequena, o número de usuários da Orbia dá um sinal do potencial do setor. Dos 800 mil produtores rurais existentes no Brasil, segundo o último Censo Agropecuário do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas), quase 200 mil estão cadastrados na plataforma.

Constituída no fim de 2019, a Orbia movimentou R$ 200 milhões em vendas na plataforma em seu primeiro ano de existência. No ano passado, a venda de insumos dentro do ecossistema da empresa subiu para R$ 1 bilhão e a expectativa é que chegue a R$ 3 bilhões ao final de 2022.

“Um dos aspectos mais fundamentais na tomada de decisão do agricultor é o acesso ao crédito. Com a chegada do Itaú BBA, teremos a possibilidade de ampliar nossa capacidade de atender a demanda do nosso cliente”, explica Ivan Moreno, CEO da Orbia. “Nosso foco sempre foi ser um parceiro de negócio importante para o produtor rural, possibilitando uma jornada completa dentro da plataforma, facilitando a atuação no campo desde o plantio até a comercialização de commodities”, afirma.

Leia também

Alexandre Inacio

Alexandre Inacio

Jornalista brasileiro, com mais de 20 anos de carreira, editor da Bloomberg Línea. Com passagens pela Gazeta Mercantil, Broadcast (Agência Estado) e Valor Econômico, também atuou como chefe de comunicação de multinacionais, órgãos públicos e como consultor de inteligência de mercado de commodities.

PUBLICIDADE