PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Negócios

Tesla sobe após bater estimativas de analistas com lucro do primeiro trimestre

Lucro da empresa de veículos elétricos e energia limpa de Elon Musk totalizou US$ 3,22 por ação

A receita subiu para US$ 18,8 bilhões, em comparação com as estimativas de US$ 17,9 bilhões.
Por Bloomberg News
20 de Abril, 2022 | 05:44 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — A Tesla divulgou resultados melhores do que o esperado no primeiro trimestre, impulsionados pela forte demanda por seus veículos elétricos em meio a desafios contínuos na cadeia de suprimentos e o lockdown da covid-19 em Xangai, que prejudicou sua produção na China.

O lucro da empresa de veículos elétricos e energia limpa de Elon Musk totalizou US$ 3,22 por ação, excluindo alguns itens, disse a montadora de Austin, Texas, nesta quarta-feira (20). Isso superou a média de US$ 2,27 das estimativas dos analistas. A receita subiu para US$ 18,8 bilhões, em comparação com as estimativas de US$ 17,9 bilhões.

Primeira grande montadora dos EUA a divulgar os resultados financeiros do primeiro trimestre, a Tesla alertou que suas “fábricas estão funcionando abaixo da capacidade há vários trimestres, já que a cadeia de suprimentos se tornou o principal fator limitante, o que provavelmente continuará até o resto de 2022″.

As ações da Tesla subiam 5,1%, para US$ 1.026,88 nas negociações pós-mercado. No fechamento desta quarta, tinham registrado queda de 5%, para US$ 977,20.

PUBLICIDADE

Embora a Tesla ainda seja de longe a empresa automotiva mais valiosa do mundo, com uma capitalização de mercado de US$ 1,01 trilhão, as ações caíram 7,5% este ano em meio a preocupações com a escassez global de peças-chave.

Mas a empresa se saiu melhor do que rivais de maior volume, como General Motors e Ford Motor, cujas ações caíram 29% e 23%, respectivamente.

A receita da Tesla com a venda de créditos regulatórios totalizou US$ 679 milhões.

--Mais informações a seguir

PUBLICIDADE

Leia também

Ídolo do São Paulo é um dos lesados por esquema de falsas debêntures, diz sócio