PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Tech

Netflix despenca 26% no pós-mercado com resultado frustrante

Plataforma de streaming divulgou sua primeira queda de usuários em uma década, o que derrubou as ações da companhia em Nova York

Rainha do streaming está perdendo súditos
Por Christopher Palmeri e Jeran Wittenstein
19 de Abril, 2022 | 06:48 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — As ações de companhias de streaming foram abaladas nesta terça-feira (19) depois que a Netflix (NFLX) reportou sua primeira queda de usuários em mais de uma década, alimentando os temores dos investidores de que a reabertura da economia prejudicará essas empresas.

A Disney (DIS) caía 5,3% e plataforma Roku (ROKU) caía 8,3%, enquanto a Netflix desabava 26% no pós-mercado de Nova York perto das 18h35 do horário de Brasília. A previsão da empresa de uma perda de dois milhões de assinantes no trimestre atual provavelmente levará os analistas a repensar suas previsões para todo o setor. Outras empresas de mídia como a Discovery Warner Bros, Paramount e Spotify (SPOT) também caíam.

PUBLICIDADE

Enquanto a Netflix prejudica as ações de tecnologia e provavelmente o mercado, os ventos contrários são específicos para a empresa e a indústria de streaming, disse Adam Crisafulli, da Vital Knowledge, em nota. A Netflix viu o vento a favor na pandemia, mas isso agora está se revertendo à medida que a concorrência aumenta.

Empresas como a Disney, que tem três grandes negócios de streaming com Disney+, Hulu e ESPN+, viram as ações se moverem junto com as assinaturas e mudanças nas previsões de longo prazo. Agora, o líder do setor está sugerindo que um platô de assinantes pode estar próximo, principalmente no mercado americano, onde a Netflix registrou sua maior queda de assinantes no primeiro trimestre.

As ações da Netflix tiveram dificuldades em 2022, acumulando perda de 42% até o fechamento de terça-feira. As perdas superam em muito a queda de cerca de 13% no índice Nasdaq 100. Entre os componentes do índice de tecnologia, a Netflix é o terceiro pior desempenho deste ano.

PUBLICIDADE

Grande parte de sua derrota este ano resultou de seu balanço anterior divulgado em janeiro, onde deu uma perspectiva decepcionante para os assinantes, provocando uma queda de mais de 20%.

Se a Netflix encerrar a sessão de quarta-feira em baixa, isso marcaria um quinto balanço trimestral consecutivo que levou a uma reação negativa nas ações, a mais longa sequência já registrada, de acordo com dados da Bloomberg que remontam a 2011.

--Com assistência de Ryan Vlastelica.

Leia também

Ano de Copa: CBF espera faturar mais R$ 1 bilhão em 2022

Traders amadores sonham em pagar dívida estudantil com mercado

NetflixTechStreamingÚltimas Brasil
PUBLICIDADE