Mercados

Ibovespa volta da Páscoa em queda, em mais uma semana curta

Mercado já se prepara para o fechamento das negociações na quinta-feira (21), feriado de Tiradentes, o que deve reduzir o fluxo

Pressões de preços estão sendo alimentadas por problemas na cadeia de suprimentos devido às restrições da covid na China e interrupções nos fluxos de commodities devido à guerra
18 de Abril, 2022 | 11:14 am
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg Línea — O principal índice da Bolsa de São Paulo (IBOV) inicia a semana do feriado de Tiradentes (21) no vermelho, com os mercados mistos no exterior. Lá fora, os investidores seguem monitorando as perspectivas de inflação e próximos passos do Federal Reserve.

Os rendimentos do Tesouro americano oscilam à medida que os traders aguardam os discursos dos membros do Fed nesta semana em busca de novas pistas sobre se ele aumentará as taxas de juros em meio ponto em maio para conter as pressões sobre os preços. Um salto nos custos de energia destacou as preocupações com a inflação, já que os preços do gás natural nos EUA subiram para o nível intradiário mais alto em mais de 13 anos. O petróleo WTI chegou a superar os US$ 108 o barril em Nova York.

Em outros movimentos de mercado, o Twitter (TWTR) subia depois que Elon Musk disse que os interesses econômicos do conselho não estão alinhados com os acionistas.

  • Perto das 11h00, o Ibovespa caía 0,65%, a 115.427 pontos
  • O dólar caía 0,61%, a R$ 4,67
  • O S&P 500 caía 0,08%, o Dow Jones, 0,05% e o Nasdaq, 0,15%

Contexto

O padrão nos mercados sugere que os investidores permanecem incertos se a inflação alta atingiu ou não o pico. As pressões de preços estão sendo alimentadas por problemas na cadeia de suprimentos devido às restrições da covid na China e interrupções nos fluxos de commodities devido à guerra. Cresce a preocupação de que a economia dos EUA enfrente uma desaceleração à medida que o Fed se volta para uma política agressiva de aperto para conter o custo de vida.

PUBLICIDADE

A história sugere que o Fed enfrentará uma tarefa difícil ao apertar a política para esfriar a inflação sem causar uma recessão nos EUA, de acordo com o Goldman Sachs.

Os efeitos positivos da inflação no crescimento dos lucros das empresas norte-americanas atingiram o pico à medida que o aumento dos custos reduz suas margens e as pressões de preços causadas pela guerra na Ucrânia atingem os consumidores, segundo estrategistas do Morgan Stanley.

Os dados econômicos chineses vieram mistos, aumentando as preocupações dos investidores sobre sua recuperação estagnada. A China cortou a taxa de compulsório na sexta-feira, mas se absteve de reduzir as taxas de juros em uma abordagem cautelosa de flexibilização da política, enquanto o presidente do Banco do Japão, Haruhiko Kuroda, descreveu seu recuo como muito rápido.

Enquanto isso, autoridades ucranianas disseram que os defensores restantes de Mariupol estão cercados por forças russas, mas não entregaram a cidade portuária estrategicamente importante, já que um ataque mortal foi relatado em Lviv, perto da fronteira polonesa. Autoridades ucranianas estarão em Washington para as reuniões desta semana do Fundo Monetário Internacional e do Banco Mundial para buscar apoio financeiro.

PUBLICIDADE

(Com informações de Bloomberg News)

Leia também

Estagiários da Faria Lima ganham mais do que o profissional médio brasileiro

Bilionário Abramovich visita Kiev e busca retomar as negociações Ucrânia-Rússia

Kariny Leal

Kariny Leal

Jornalista carioca, formada pela UFRJ, especializada em cobertura econômica e em tempo real, com passagens pela Bloomberg News e Forbes Brasil. Kariny cobre o mercado financeiro e a economia brasileira para a Bloomberg Línea.

PUBLICIDADE