PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Internacional

Sem energia da Rússia, Alemanha pode ter prejuízo de US$ 240 bilhões

Governo elaborou pacote de auxílios para ajudar empresas em apuros (principalmente as de energia) com empréstimos e injeções de capital

Pipework at a gas pre-treatment unit at the Gazprom PJSC Chayandinskoye oil, gas and condensate field, a resource base for the Power of Siberia gas pipeline, in the Lensk district of the Sakha Republic, Russia, on Tuesday, Oct. 12, 2021. European natural gas futures declined after Russia signaled that it may offer additional volumes soon.
Por Carolynn Look
13 de Abril, 2022 | 08:08 pm
Tempo de leitura: 3 minutos

Bloomberg — A Alemanha foi avisada de que poderia enfrentar um impacto de 220 bilhões de euros (US$ 240 bilhões) na produção nos próximos dois anos no caso de uma interrupção imediata no fornecimento de energia da Rússia devido à guerra na Ucrânia.

Institutos econômicos que assessoram o governo em Berlim disseram na quarta-feira (13) em uma previsão conjunta de que a suspensão total das importações de gás natural da Rússia resultaria em uma “forte recessão”.

PUBLICIDADE

“A decisão de se tornar independente do fornecimento russo de matérias-primas provavelmente continuará válida mesmo quando a situação militar e política se acalmar novamente”, disse o relatório. “Isso significa que parte do fornecimento de energia e da indústria de uso intensivo de energia deve se realinhar.”

Embora a estimativa de 220 bilhões de euros seja o equivalente a 6,5% da produção anual, não chega nem perto dos quase 890 bilhões de euros em empréstimos que a Alemanha fez em 2020 e 2021 para proteger a economia das consequências da pandemia.

Em meio a crescentes baixas e relatos de atrocidades brutais, a Alemanha está sob crescente pressão para justificar sua resistência a um embargo ao gás russo – amplamente visto como a cartada final contra o presidente Vladimir Putin.

PUBLICIDADE

A Ucrânia ignorou um pedido de Frank-Walter Steinmeier, presidente da Alemanha, para visitar Kiev nesta semana, após críticas por seu apoio anterior ao gasoduto Nord Stream 2 da Rússia para a Alemanha e por sua atitude, como ministro das Relações Exteriores, de incentivar a reconciliação e o diálogo com o Kremlin.

Consequências da guerra para crescimento da Alemanhadfd

O ministro das Finanças, Christian Lindner, destacou os enormes desafios para a Alemanha tentar se livrar da energia russa o mais rápido possível, ao mesmo tempo em que busca a neutralidade climática até 2045.

“Nosso mundo não será o mesmo de antes”, escreveu Lindner, que é presidente do partido pró-negócios Democratas Livres, em artigo para o jornal Handelsblatt publicado na quarta-feira.

“Precisamos de novos modelos de negócios, novas ideias, novas cadeias de suprimentos e novas relações comerciais”, disse. “Temos que reduzir as dependências unilaterais, seja da energia da Rússia ou das exportações para a China.

PUBLICIDADE

O DIW, com sede em Berlim, um dos institutos envolvidos na estimativa, disse na sexta-feira (8) que a Alemanha poderia sobreviver sem o gás russo, que atualmente responde por dois quintos de suas entregas de gás. O grupo disse que uma combinação de estoques, reforço de outras fontes de energia e implementação de programas para reduzir a demanda pode compensar a falta da Rússia já neste inverno.

Essa não é uma visão amplamente compartilhada pela comunidade empresarial; líderes do setor, incluindo o CEO do Deutsche Bank, Christian Sewing, alertaram sobre terríveis consequências econômicas se os suprimentos russos forem cortados.

PUBLICIDADE

Perspectiva ruim

Mesmo sem um corte, o relatório desta quarta-feira reduziu as perspectivas para a economia da Alemanha, prevendo um crescimento este ano de 2,7% e 3,1% em 2023. Esses números se comparam às projeções anteriores de expansão de 4,8% e 1,9%. A inflação terá uma média de 6,1% em 2022 – a maior em 40 anos.

“As ondas de problemas da guerra na Ucrânia estão afetando n atividade econômica tanto do lado da oferta quanto da demanda”, disse Stefan Kooths, vice-presidente do Instituto Kiel para a Economia Mundial. “O aumento dos preços de commodities energéticas fundamentais após a invasão russa alimenta ainda mais a pressão sobre os preços.”

PUBLICIDADE

A economia da Alemanha focada em indústria enfrenta obstáculos consideráveis depois que a guerra elevou os preços da energia e interrompeu as cadeias de suprimentos que já sofriam com problemas relacionados à pandemia. A inflação atingiu 7,6% no primeiro mês completo da guerra – o nível mais alto desde que os registros começaram após a reunificação no início dos anos 90.

As empresas são consideradas particularmente vulneráveis devido à dependência do gás russo por parte da Alemanha. A coalizão governante concordou na semana passada com um pacote de auxílio para empresas em dificuldades que inclui empréstimos, garantias de empréstimos e injeções de capital e destina-se a ajudar especificamente as empresas de energia.

PUBLICIDADE

--Com a colaboração de Chris Reiter e Iain Rogers.

--Este texto foi traduzido por Bianca Carlos, localization specialist da Bloomberg Línea.

PUBLICIDADE

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também