PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Cripto

Bitcoin dá respiro a traders e volta a ficar acima da marca de US$ 40 mil

Atualmente, limites de preços da maior criptomoeda são de US$ 36.500 e US$ 47.500

Investidores vêm considerando criptoativos vulneráveis às condições monetárias mais apertadas
Por Joanna Ossinger
12 de Abril, 2022 | 11:21 am
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — O Bitcoin (BTC) voltou a ficar acima de US$ 40 mil nesta terça-feira (12), ganhando terreno depois de uma queda nos sete dias entre os últimos oito.

PUBLICIDADE

A maior criptomoeda subiu 0,8%, chegando a US$ 40.160 às 6h30 de Brasília, ganhando força por volta da 1h, depois de uma queda no início do pregão. O Ether (ETH) também se fortaleceu ao mesmo tempo, chegando a pouco mais de US$ 3 mil. Algumas moedas menores registraram ganhos maiores – o Avalance subiu 3,8% e o Polkadot avançou 2,3%.

O Bitcoin e o mercado de criptomoedas mais amplo vêm lutando nas últimas semanas, pois o Federal Reserve começou a aumentar as taxas para combater a inflação teimosa e a turbulência geopolítica que prejudicou o apetite ao risco. A inflação nos Estados Unidos provavelmente acelerou para 8,4% em março – o ritmo mais rápido desde o início de 1982, segundo uma pesquisa com economistas.

PUBLICIDADE

A correlação das criptomoedas com as ações de tecnologia dos EUA aumentou de forma acentuada nas últimas semanas, sugerindo que os investidores enxergam cada vez mais os ativos digitais como vulneráveis às condições monetárias mais apertadas. No entanto, em contraste, o enorme estímulo que o Fed injetou nos mercados durante o surto de covid levou o Bitcoin a um recorde de US$ 69 mil no início de novembro.

O Bitcoin ficou positivo na terça-feira (12), mas ainda está com preço mais baixo que nos últimos diasdfd

O Federal Reserve pode precisar aumentar as taxas de juros “significativamente” mais que o atualmente esperado para acalmar uma economia superaquecida dos EUA, disse o economista-chefe do Goldman Sachs (GS), Jan Hatzius, na sexta-feira (8).

O Bitcoin “ainda está se consolidando em um padrão triangular que remonta a meados de janeiro”, disse Jeffrey Halley, analista sênior de mercado da Oanda. “Os limites inferior e superior hoje são US$ 36.500 e US$ 47.500″, disse ele, sugerindo que o Bitcoin estava bem dentro de sua variação.

Ficar acima ou abaixo desses níveis pode levar a um movimento de US$ 18 mil de qualquer maneira, acrescentou Halley.

--Este texto foi traduzido por Bianca Carlos, localization specialist da Bloomberg Línea.

PUBLICIDADE

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também