Plano de redução do balanço do Fed dá pouco alívio a investidor de curto prazo

Estrategistas veem redução lenta mantendo taxas de curto prazo ancoradas na parte inferior da faixa de referência

Liderado por Jerome Powell, plano de redução do balanço do Fed dá pouco alívio a investidor de curto prazo
Por Alex Harris
07 de Abril, 2022 | 04:54 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — A decisão do Federal Reserve de desfazer sua carteira de títulos do Tesouro americano em um ritmo moderado significa que pode levar anos até que haja ampla oferta e rendimentos mais altos para investidores de curto prazo nos EUA.

Ao discutir seus planos, os dirigentes do banco central dos EUA disseram que seria apropriado reduzir gradualmente o portfólio de US$ 326 bilhões, de acordo com a ata da reunião de março.

Isso contrasta com um cenário mais rápido que alguns esperavam, em que o Fed optaria por sair rapidamente de algumas de suas posições em vencimentos mais curtos.

Os planos fazem parte de um delineamento mais amplo de como as autoridades podem fazer o chamado aperto quantitativo, sinalizando que podem reduzir os ativos do Tesouro em até US$ 60 bilhões por mês e os títulos hipotecários em US$ 35 bilhões.

PUBLICIDADE
  dfd

A desova de títulos do Fed é fundamental para os operadores do mercado monetário que têm lutado para encontrar ativos. Uma redução rápida dos títulos do Tesouro detidos pelo Fed forneceria aos investidores um choque de abastecimento.

Os estrategistas de Wall Street concordam amplamente que a decisão do Fed de reduzir lentamente seu estoque de títulos do Tesouro manterá as taxas de juros de curto prazo ancoradas na parte inferior da faixa de referência principal do banco central, que atualmente é de 0,25% a 0,50%.

Isso também significa que, enquanto a oferta permanecer escassa, a demanda por alternativas de notas do Tesouro permanecerá robusta.

Veja mais em bloomberg.com

PUBLICIDADE