Finanças pessoais

Receita estica prazo da declaração do imposto de renda até 31 de maio

Órgão justificou que, com a pandemia, alguns órgãos e empresas ainda não estão com seus serviços de atendimento totalmente normalizados

Receita Federal publica no Diário Oficial da União portaria que dá mais tempo para o contribuinte enviar sua declaração do imposto de renda
05 de Abril, 2022 | 09:33 am
Tempo de leitura: 1 minuto

São Paulo — Iniciado no último dia 7 de março, o prazo de entrega da declaração do imposto de renda foi esticado de 29 de abril para 31 de maio, divulgou a Receita Federal nesta terça-feira (5), citando as dificuldades do preenchimento e envio dos dados, visto que alguns órgãos e empresas ainda não estão com seus serviços de atendimento totalmente normalizados devido à pandemia da Covid-19.

Na edição de hoje do Diário Oficial da União, foi publicada a Instrução Normativa nº 2.077, que prorroga para o último dia de maio o prazo de entrega da Declaração de Ajuste Anual do Imposto sobre a Renda das Pessoas Físicas, da Declaração Final de Espólio e Declaração de Saída Definitiva do País.

O imposto a pagar apurado também teve seu vencimento adiado para o final do mês de maio, mas as restituições seguirão o cronograma anterior, sem alteração, informou a Receita. As datas permitidas para o débito automático passam a ser 10 de maio, para a primeira cota, e até 31 de maio para as demais.

Até ontem (4), a Receita já havia recebido quase 11 milhões de declarações. A Receita Federal cobra multa de quem está obrigado a entregar a declaração e não fizer até o fim do prazo.

PUBLICIDADE

O valor da multa é de 1% ao mês, sobre o valor do imposto de renda devido, limitado a 20% do valor do imposto de renda. O valor mínimo da multa é de R$ 165,74.

Quem é obrigado a declarar?

É obrigado a enviar a declaração de imposto de renda à Receita Federal aquele que:

  • Recebeu rendimentos tributáveis acima do limite (R$ 28.559,70)
  • Recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte acima do limite (R$ 40.000,00)
  • Obteve receita bruta anual decorrente de atividade rural em valor acima do limite (R$ 142.798,50)
  • Pretenda compensar prejuízos da atividade rural deste ou de anos anteriores com as receitas deste ou de anos futuros
  • Teve a posse ou a propriedade, em 31 de dezembro do ano-calendário, de bens ou direitos, inclusive terra nua, acima do limite (R$ 300.000,00)
  • Obteve ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto
  • Optou pela isenção de imposto sobre o ganho de capital na venda de imóveis residenciais, seguido de aquisição de outro, no prazo de 180 dias
  • Realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas
  • Passou à condição de residente no Brasil, em qualquer mês, e nessa condição se encontrava em 31 de dezembro do ano-calendário

Leia também

Covid: África do Sul encerra estado de calamidade com queda de casos

Sérgio Ripardo

Sérgio Ripardo

Jornalista brasileiro com mais de 25 anos de experiência, com passagem por sites de alcance nacional como Folha e R7, cobrindo indicadores econômicos, mercado financeiro e companhias abertas.

PUBLICIDADE