PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Estilo de vida

Oscar de melhor filme virou uma batalha pela glória do streaming

A disputa entre “O Ataque dos Cães”, da Netflix, e “No Ritmo do Coração”, da Apple TV+, diz muito sobre o negócio de filmes em 2022

Oscar statuettes in various stages of the plating process are displayed at the R.S. Owens factory in Chicago, Illinois, U.S., on Thursday, Jan. 10, 2008. For most people the Academy Awards are about fancy dresses, weepy actresses and mind-numbingly long speeches. But don't forget that the Oscars are also one of the best betting events of the year. Photographer: Tim Boyle/Bloomberg News
Por Christopher Palmeri
27 de Março, 2022 | 10:21 am
Tempo de leitura: 4 minutos

(Bloomberg) -- A disputa pelo Oscar de melhor filme deste ano está se transformando em uma batalha entre a Netflix e a Apple Inc. Pela primeira vez na história da premiação, a maior honraria da indústria pode ser concedida a um filme distribuído principalmente online, não nos cinemas tradicionais.

A disputa entre “O Ataque dos Cães”, da Netflix, e “No Ritmo do Coração” (”CODA”, no original), da Apple TV+, diz muito sobre o negócio de filmes em 2022. Os cinemas ainda estão se recuperando da pandemia, que manteve famílias (e espectadores mais velhos, em particular) longe dos cinemas. Enquanto isso, os estúdios de Hollywood estão disponibilizando seus filmes exclusivamente para exibição doméstica, ou muito mais cedo do que no passado, para competir com empresas de tecnologia que oferecem serviços de streaming de vídeo e financiam seus próprios filmes e séries de TV.

PUBLICIDADE

O Oscar, que será transmitido na noite deste domingo, vem com sua quantidade usual de drama pré-show. A premiação foi adiada um mês. No ano passado, a cerimônia foi adiada por causa da pandemia.

A audiência da cerimônia caiu nos últimos anos, e a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, que distribui os prêmios, está tentando reduzir o tempo historicamente longo entregando oito prêmios antes da transmissão. Isso provocou um alvoroço, principalmente para candidatos em categorias que não foram selecionadas, como edição de filmes e design de produção.

A cerimônia retorna este ano para sua casa regular no Dolby Theatre em Los Angeles, com capacidade para 3.300 pessoas, depois de ser realizada no ano passado diante de um público muito menor na Union Station, no centro da cidade, devido a precauções sanitárias.

PUBLICIDADE

Três comediantes – Regina Hall, Amy Schumer e Wanda Sykes – presidirão a cerimônia de domingo, depois que a academia experimentou anteriormente sem anfitriões. O produtor, Will Packer, está tentando alcançar um público mais amplo adicionando mais estrelas da música e do esporte como apresentadores, incluindo o skatista Tony Hawk e o snowboarder Shaun White.

Rachel Zegler, que interpretou Maria na adaptação indicada para melhor filme de “West Side Story”, foi nomeada como apresentadora na semana passada depois de revelar que não havia sido convidada para a cerimônia. “We Don’t Talk About Bruno”, o hit do filme da Disney “Encanto”, será tocada ao vivo, embora não dispute a premiação.

A academia luta há anos com críticas de que ignora as minorias e tem trabalhado para diversificar seus quase 9.500 membros votantes. O ator Will Smith, que nunca ganhou um Oscar, é um candidato este ano por sua atuação como pai das irmãs Williams, tenistas, em “Rei Ricardo”. A programação deste ano inclui quatro pessoas negras indicadas a prêmios de atuação, incluindo Smith, que está concorrendo pela terceira vez.

Troy Kotsur, que interpretou o pai em “No Ritmo do Coração, é considerado a melhor escolha para melhor ator coadjuvante. Ele é um dos dois únicos artistas surdos a ser indicado ao Oscar de atuação. Sua colega de elenco, Marlee Matlin, foi a primeira, vencendo em 1987 por seu papel principal em “Filhos de um Deus Menor”.

PUBLICIDADE

Missão da Netflix: A Netflix vem tentando cuidadosamente ganhar o Oscar de melhor filme há pelo menos quatro anos. A campanha começou para valer com “Roma”, de 2018, que foi indicado a 10 Oscars e ganhou três, incluindo o de melhor diretor para Alfonso Cuarón.

A empresa pioneira da indústria de streaming fez filmes com alguns dos diretores mais respeitados do ramo, incluindo Martin Scorsese, David Fincher e Noah Baumbach. Ele gastou dezenas de milhões de dólares em campanhas do Oscar e lutou contra críticas de luminares da indústria como Steven Spielberg, que disse que filmes feitos para a TV não deveriam ser elegíveis ao Oscar.

PUBLICIDADE

Spielberg é indicado este ano por “West Side Story”, que foi exibido inicialmente apenas nos cinemas. Ele também agora tem um acordo para fazer filmes para a Netflix.

“O Ataque dos Cães”, um drama sobre os relacionamentos tensos de uma família de fazendeiros na Montana dos anos 1920, tem sido considerado o favorito para ganhar o prêmio de melhor filme por meses em sites de previsão do Oscar como GoldDerby.com. “Não Olhe para Cima”, da Netflix, uma sátira sobre um cometa se aproximando da Terra, também foi indicado, mas é considerado azarão na disputa.

PUBLICIDADE

“No Ritmo do Coração”, sobre uma estudante do ensino médio que pode ouvir tentando ajudar os membros surdos de sua família, ultimamente tem gerado burburinho, incluindo ganhar a principal honraria do influente Producers Guild of America, em 19 de março.

“Às vezes, é o filme que conquista seu coração que acaba vencendo o dia”, disse Erik Davis, editor-chefe do site de ingressos Fandango. “Isso é uma coisa sobre ‘No Ritmo do Coração’, é um filme super emocionante que chegou em um momento em que muitas pessoas realmente precisavam.”