Mercados

Futuros de NY sobem após rali de tecnologia em Wall Street

Os títulos do Tesouro dos EUA reduziram o ritmo de perdas, mas os rendimentos dos papéis de de 10 anos seguem próximo de níveis vistos pela última vez em 2019

Moscú
Por Sunil Jagtiani
24 de Março, 2022 | 11:24 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — Os mercados asiáticos de ações iniciaram de forma mista os negócios desta sexta-feira, com os investidores avaliando a resiliência da recuperação econômica global aos riscos do aperto da política monetária do Federal Reserve e da campanha militar da Rússia na Ucrânia.

As ações subiram no Japão, Coreia do Sul e Austrália, mas recuaram em Hong Kong. Os futuros de ações de Nova York reverteram a queda e passaram a subir mesmo depois que as ações de tecnologia ajudaram o índice S&P 500 a fechar no maior patamar em mais de seis semanas.

Os títulos do Tesouro dos EUA reduziram o ritmo de perdas, mas os rendimentos dos papéis de de 10 anos (GT10) seguem próximo de níveis vistos pela última vez em 2019. O petróleo recuou, embora o petróleo West Texas Intermediate (WTI) tenha permanecido acima de US$ 110 por barril.

Os investidores continuam a lidar com as ramificações da invasão da Rússia, incluindo custos elevados e voláteis de matérias-primas que alimentaram expectativas de inflação mais alta e aumentos mais agressivos nas taxas de juros do Fed.

PUBLICIDADE

A divergência entre o Fed e o Banco do Japão minou o iene, que está no menor patamar em seis anos em relação ao dólar. O estrategista do Société Générale SA, Albert Edwards, disse que a fraqueza do iene pode estimular a desvalorização do iuan.

As ações globais devem ter seus primeiros ganhos semanais consecutivos em 2022, sugerindo que os investidores em ações preveem o crescimento econômico resistindo ao conflito, à alta inflação e à campanha do Fed contra a inflação.

Mas uma partes importante da curva de rendimentos dos Treasuries continua a se achatar ou inverter. Isso está agitando o debate sobre se o mercado de títulos está sinalizando uma desaceleração econômica acentuada ou mesmo uma recessão à frente.

As medidas do Fed para conter a inflação são “o que, em última análise, impulsionará uma inversão mais agressiva da curva, que achamos que está chegando rapidamente”, disse Gene Tannuzzo, chefe global de renda fixa da Columbia Threadneedle Investments, à Bloomberg Television.

PUBLICIDADE

Isso não indica necessariamente uma recessão, acrescentou ele, já que “este é um ciclo muito diferente e o primeiro em mais de 30 anos em que o Fed está tentando domar a inflação”.

Crescimento, Fed

O presidente do Fed de Chicago, Charles Evans, disse na quinta-feira que está “confortável” com o aumento das taxas em incrementos de um quarto de ponto, enquanto está “aberto” a um movimento de 50 pontos-base, se necessário. O banco central dos EUA elevou a taxa de referência em um quarto de ponto na semana passada, o primeiro aumento desde 2018.

O rendimento da nota do Tesouro de dois anos está a caminho do maior avanço trimestral desde 1984, um exemplo de fortes perdas recentes nos mercados de títulos.

Embora a ação do preço nos títulos do Tesouro tenha sido brutal, isso não significa que o mercado altista de títulos de décadas acabou, disse Carley Garner, fundador da DeCarley Trading, à Bloomberg Television.

Enquanto isso, o governo Biden está cada vez mais preocupado que o presidente russo, Vladimir Putin, possa atacar perigosamente, pressionado sua campanha militar e por sanções de longo alcance. Os EUA e seus aliados advertiram Putin contra o uso de armas biológicas, químicas ou nucleares.

Alguns dos principais movimentos nos mercados:

PUBLICIDADE

Ações

  • Os futuros de S&P 500 (ESA) subiam 0,2% às 11h20 em Tóquio (23h20 em Brasília). Na quinta, o S&P 500 (SPX) subiu 1,4%;
  • Os futuros do Nasdaq 100 (NQA) subiam 0,1%. O Nasdaq 100 (NDX) subiu 2,2%;
  • O índice Topix (TOPIX), de Tóquio, subia 0,4%;
  • O S&P/ASX 200 da Austrália (AS51) subia 0,5%;
  • O índice Kospi (KOSPI), de Seul, subia 0,2%;
  • O índice Hang Seng (HSI), de Hong Kong, recuava 0,5%;

Moedas

  • O iene japonês (JPY) operava a 122,12 por dólar;
  • O yuan offshore (CNH) operava a 6,3811 por dólar;
  • O Bloomberg Dollar Spot Index (DXY) recuava 0,1%;
  • O euro (EUR) operava a US$ 1,1007;

Renda fixa

  • O rendimento dos títulos do Tesouro de 10 anos recuava um ponto básico a 2,36%;
  • O rendimento de 10 anos da Austrália seguia a 2,79%;

Commodities

  • O petróleo bruto West Texas Intermediate (WTI) era negociado a U$ 112,02 o barril, com baixa de 0,3%;
  • O ouro era negociado a US$ 1.962,24 a onça.

(atualizado às 23h24 com abertura em Hong Kong)

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

PUBLICIDADE