PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Mercados

Futuros de NY caem após três dias de ganhos em Wall Street

Ações asiáticas tiveram ganhos modestos à medida que os investidores monitoravam a guerra na Ucrânia

Futuros de NY caem após três dias de ganhos em Wall Street
Por Sunil Jagtiani
17 de Março, 2022 | 10:13 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — Os futuros de ações dos EUA caíram nesta sexta-feira e as ações asiáticas tiveram ganhos modestos à medida que os investidores monitoravam a guerra na Ucrânia e sinais mistos sobre as negociações de paz que elevaram o petróleo acima de US$ 100 o barril.

As ações subiram no Japão, Austrália e Coreia do Sul. Os contratos S&P 500 (SPX) e Nasdaq 100 (NDX) caíram após o maior rali de três dias desde 2020.

As ações chinesas negociadas nos EUA tiveram uma alta histórica nesta quinta, enquanto os investidores esperam que Pequim cumpra sua promessa de estabilizar os mercados da China.

A guerra na Ucrânia e as sanções impostas à Rússia continuam a moldar o sentimento dos investidores. O JPMorgan Chase & Co. (JPM) processou pagamentos de juros de títulos em dólares do governo russo, aliviando alguns temores de um default.

PUBLICIDADE

O petróleo subiu após o Kremlin lançar dúvidas sobre o progresso das negociações de cessar-fogo em andamento. A guerra interrompeu severamente os fluxos de petróleo russo. O Pentágono alertou o presidente russo Vladimir Putin pode ameaçar usar armas nucleares se o conflito se prolongar.

Os Treasuries subiram e o dólar despencou. O iene ficou estável antes da revisão da política do Banco do Japão, que deve manter a flexibilização monetária.

As ações globais se recuperaram nos últimos dias, podendo ter a melhor semana desde novembro de 2020. Isso sugere que alguns dos piores temores sobre o choque inflacionário das commodities e o impacto da guerra na confiança diminuíram. Ao mesmo tempo, o aperto da política monetária do Federal Reserve aponta para a probabilidade de mais oscilações de ativos à frente.

“Não espero necessariamente que o resto do ano seja tão fácil”, disse Lori Calvasina, chefe de estratégia de ações dos EUA na RBC Capital Markets LLC, à Bloomberg Television. “A volatilidade provavelmente permanecerá elevada por algum tempo”, disse.

PUBLICIDADE

O presidente Joe Biden e seu colega chinês Xi Jinping devem discutir a guerra na sexta-feira. O governo Biden está preocupado que Xi possa apoiar Moscou. O presidente dos EUA alertará sobre “custos” se a China apoiar a Rússia, disse o secretário de Estado Antony Blinken.

Os legisladores dos EUA votaram para encerrar os laços comerciais com a Rússia, abrindo caminho para tarifas muito mais altas sobre produtos russos. Enquanto isso, a S&P Global Ratings cortou o rating da Rússia, dizendo que sua dívida é “altamente vulnerável ao não pagamento”.

Os dados mais recentes dos EUA mostraram que a produção industrial aumentou mais em quatro meses, enquanto a construção de novas casas se recuperou em fevereiro. Isso reforçou a visão do presidente do Fed, Jerome Powell, de que a maior economia do mundo pode lidar com uma campanha de aperto monetário para combater a alta inflação.

Alguns dos principais movimentos nos mercados:

Ações

  • Os futuros de S&P 500 (ESH2) tinham baixa de 0,6% às 10h05 em Tóquio (22h05 em Brasília). Na quinta, o S&P 500 subiu 1,2%;
  • Os futuros do Nasdaq 100 (NQH2) recuavam 0,9%. O Nasdaq 100 subiu 1,2%;
  • O índice Topix (TOPIX), de Tóquio, subia 0,3%;
  • O S&P/ASX 200 da Austrália (AS51) subia 1,4%;
  • O índice Kospi (KOSPI), de Seul, recuava 0,1%;

Moedas

  • O iene japonês (JPY) operava a 118,63 por dólar;
  • O yuan offshore (CNH) operava a 6,3624
  • O Bloomberg Dollar Spot Index (DXY) recuava 0,1%;
  • O euro (EUR) operava a US$ 1,1163;

Renda fixa

  • O rendimento dos títulos do Tesouro de 10 anos recuava dois pontos base para 2,15%;
  • O rendimento de 10 anos da Austrália subia três pontos base para 2,54%;

Commodities

  • O petróleo bruto West Texas Intermediate (WTI) subia 0,8% para US$ 103,83 o barril;
  • O ouro era negociado a US$ 1.943,97 a onça.

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também