Mercados

Powell: Economia está forte para lidar com alta de juros; veja destaques

O Fed anunciou aumento de juros pela primeira vez em quase quatro anos na tarde desta quarta (16)

Aumento de juros vem na esteira da inflação em alta nos Estados Unidos
16 de Março, 2022 | 03:35 pm
Tempo de leitura: <1 minuto

Bloomberg Línea — O Federal Reserve, banco central americano, decidiu elevar a taxa de juros americana para o intervalo entre 0,25% e 0,5%, sinalizando outros seis aumentos similares este ano, conforme comunicado divulgado nesta quarta-feira (16). Esse é o primeiro aumento de juros pela autarquia americana em mais de três anos e vem na esteira da inflação em alta nos Estados Unidos, potencializada agora pela pressão nas cadeias por conta da guerra na Ucrânia.

O presidente do Fed, Jerome Powell, comentou a decisão em coletiva de imprensa, destacando que a economia americana segue forte para encarar o aperto na política monetária. “Vi um comitê que está ciente da necessidade de devolver a economia à estabilidade de preços”, disse a repórteres, caracterizando o clima ao redor da mesa enquanto os formuladores de políticas debatiam as perspectivas. “Estamos determinados a usar as ferramentas para fazê-lo.”

Veja os principais destaques:

  • A inflação deve levar mais tempo que o esperado para chegar na meta em que esperávamos
  • A guerra na Ucrânia elevou as pressões inflacionárias
  • Ainda esperamos que a inflação volte à meta de 2%
  • Alta dos preços de energia estão puxando inflação
  • Problemas de cadeias produtivas estão mais duradouros do que o previsto
  • Probabilidade de uma recessão não é alta
  • Crescimento econômico de 2,8% ainda é bastante forte
  • Todos os indicadores apontam para uma economia forte
  • A expectativa ainda é que a inflação desacelere no segundo semestre, mas ainda se mantendo alta
  • Dependendo dos indicadores, se concluirmos que precisamos subir juros mais rapidamente, faremos isso
  • Estamos dispostos a agir para baixar a inflação e ainda manter a expansão da economia
  • Anúncio sobre redução de balanço pode ocorrer em maio
  • Não deixaremos a inflação elevada se enraizar; o custo disso é muito alto
Kariny Leal

Kariny Leal

Jornalista carioca, formada pela UFRJ, especializada em cobertura econômica e em tempo real, com passagens pela Bloomberg News e Forbes Brasil. Kariny cobre o mercado financeiro e a economia brasileira para a Bloomberg Línea.

PUBLICIDADE