PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Brasil

Quase 90% do investimento em P&D da indústria são próprios, diz pesquisa

Segundo levantamento da CNI, financiamento público responde por apenas 9% dos investimentos em inovação de 2020

Financiamento público é menos de 10% do investimento em pesquisa e desenvolvimento, segundo CNI
09 de Março, 2022 | 08:14 am
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg Línea — Em 2020, 65% das médias e grandes indústrias brasileiras investiram em pesquisa e desenvolvimento. E 89% delas aportaram recursos próprios no setor, sem ajuda de linhas de financiamento públicas ou empréstimos bancários. É o que mostra pesquisa Consulta sobre P&D e Inovação Empresarial, da CNI (Confederação Nacional da Indústria), divulgada nesta quarta-feira (9) no 9º Congresso de Inovação da Indústria.

De acordo com o estudo, só 9% das grandes e médias indústrias brasileiras usaram linhas de financiamento público para investir em pesquisa. E só 3% recorreram a financiamento privado.

PUBLICIDADE

Mesmo assim, 73% das empresas disseram ter lançado produtos ou desenvolvido processos em decorrência de seus investimentos em inovação em 2020. Em 2019, essa cifra ficou em 68%.

Para o presidente da CNI, Robson Braga de Andrade, os dados mostram que “o Brasil não prioriza ciência, tecnologia e inovação”, o que obriga as empresas a investir na área com baixo apoio público.

Segundo ele, os dados mais recentes são de que o país investiu 1,21% do PIB em pesquisa e desenvolvimento em 2019, incluindo recursos públicos e privados. Um ano antes, os aportes foram de 1,17%. Ou seja, há duas décadas o Brasil se mantém distante do patamar de 2% [do PIB], tendo em vista que em 2000 o investimento foi de 1,05%, afirma.

PUBLICIDADE

“Estamos na contramão dos países desenvolvidos, que reconhecem o papel do Estado no fomento à inovação, ciência e tecnologia. Os frutos de um ambiente nacional mais aberto para a inovação são colhidos pela própria sociedade, com aumento da qualidade de vida das pessoas, redução do custo da tecnologia e criação de empregos melhores”, avalia Robson Andrade.

Inovação e RH

De acordo com a pesquisa da CNI, as empresas disseram que 56,9% dos seus investimentos em inovação foram gastos com pessoal. Outros 20,6% foram gastos de capital e 22,6%, gastos correntes.

O levantamento apontou ainda que, em média, as indústrias empregavam 117 pessoas na área de pesquisa e desenvolvimento em 2020. Desse total, 63 são pesquisadores graduados, três são doutores, oito são mestres, 15 são técnicos e 14 são profissionais de ensino médio.

A consulta empresarial foi realizada pela CNI entre outubro de 2021 e fevereiro de 2022, junto a executivos e CEOs de 196 empresas atuantes no setor de serviços, indústrias extrativas e de transformação com mais de 50 trabalhadores.

Pedro Canário

Pedro Canário

Repórter de Política da Bloomberg Línea no Brasil. Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero em 2009, tem ampla experiência com temas ligados a Direito e Justiça. Foi repórter, editor, correspondente em Brasília e chefe de redação do site Consultor Jurídico (ConJur) e repórter de Supremo Tribunal Federal do site O Antagonista.

PUBLICIDADE