PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Mercados

Aramco se aproxima da Apple como empresa mais valiosa do mundo

Com alta do petróleo, valor de mercado da Aramco atingiu US$ 2,3 tri enquanto Apple segue em US$ 2,7 tri

Campo petrolero
Por Farah Elbahrawy
09 de Março, 2022 | 06:50 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — A gigante do petróleo Saudi Aramco (ARAMCO) está diminuindo a distância em relação à Apple (AAPL) pelo título de empresa mais valiosa do mundo.

Beneficiando-se dos preços do petróleo, que atingiram o maior nível desde 2008, as ações da Aramco subiram 15% em menos de três semanas, dando-lhe uma capitalização de mercado de mais de US$ 2,3 trilhões. As ações da Apple, fabricante do iPhone, caíram 9% este ano em meio a uma ampla onda de vendas que reduziu seu valor de mercado para cerca de US$ 2,7 trilhões.

PUBLICIDADE
Valor de mercado da Saudi Aramco se aproxima do da Appledfd

Embora a Aramco ainda esteja a mais de 10% de alcançar o primeiro lugar, o aumento contínuo dos preços da energia à medida que os países impõem sanções ao petróleo da Rússia levantou essa possibilidade.

“Todo mundo quer se ater às commodities”, disse Mazen Al-Sudairi, chefe de pesquisa da Al Rajhi Capital. Com o petróleo a US$ 130 o barril, os lucros da Aramco, previstos para serem divulgados ao final deste mês, devem receber um grande impulso, dando espaço à gigante petrolífera para aumentar seus dividendos, disse ele por telefone.

A última vez em que a Aramco deteve o título de empresa mais valiosa foi por um breve período em setembro de 2020, quando os mercados globais estavam se recuperando da pandemia de covid-19.

PUBLICIDADE

Desde então, a Apple tem-se mantido predominantemente na posição, exceto por várias semanas em outubro e novembro do ano passado, quando uma redução de seus lucros impulsionou a gigante de software Microsoft ao posto de número um.

Ainda assim, com investidores buscando qualidade em mercados voláteis, a Apple tem sido vista como um refúgio por alguns. A fabricante do iPhone tem o melhor desempenho entre as empresas de tecnologia de grande capitalização este ano, com sua queda de 9% comparando-se a um declínio de 17% para o índice Nasdaq 100.

Veja mais em Bloomberg.com

PUBLICIDADE