Mercados

Goldman corta perspectiva de títulos chineses no curto prazo

Motivo é o risco de que eles possam ficar sob pressão de venda se os fundos ficarem pressionados por resgates

Goldman corta perspectiva de títulos chineses no curto prazo
Por Karl Lester M. Yap
07 de Março, 2022 | 09:07 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — O Goldman Sachs (GS) rebaixou sua avaliação sobre os títulos soberanos chineses de bullish para neutro no curto prazo devido ao risco de que eles possam ficar sob pressão de venda se os fundos ficarem pressionados por resgates.

“Se os fundos de real money continuarem enfrentando resgates e não puderem vender Rússia, a alternativa é vender outros mercados emergentes para levantar cash”, escreveram os analistas Danny Suwanapruti, Rina Jio, e Andrew Tilton em um relatório na segunda-feira. Os títulos locais da China podem ser uma fonte de liquidez, pois têm grande peso no índice JPMorgan GBI-EM Global Diversified, disseram eles.

As ligações da Rússia com os mercados financeiros globais desmoronaram nas últimas semanas com a invasão da Ucrânia, tornando difícil para os fundos negociar os títulos do país. S&P Dow Jones Indices e MSCI estão excluindo ativos russos de seus índices. O JPMorgan disse na semana passada que pode revisar seus índices de títulos e Goldman prevê que a Rússia será excluída do indicador GBI-EM.

  dfd

Outro incentivo para os fundos venderem títulos da China pode ser a sua atual visão overweight para o yuan, apesar do rali dos últimos dois anos, disse o Goldman. A China e a Indonésia têm o maior peso no índice GBI-EM, com 10% cada, de acordo com a nota.

PUBLICIDADE

Enquanto a moeda da China continua a pairar perto do seu nível mais alto desde 2018, os rendimentos dos títulos em moeda local estão subindo à medida que as ambiciosas projeções de crescimento do governo alimentam as expectativas de mais medidas de estímulo fiscal.

Veja mais em bloomberg.com

PUBLICIDADE