Mercados

Bolsas de NY caem em dia de forte volatilidade com noticiário sobre guerra

Os negócios com níquel foram interrompidos após um ganho de 250% em dois dias, o trigo atingiu uma alta histórica em Chicago e o ouro passou de US$ 2.000 a onça

Bolsas de NY caem em dia de forte volatilidade com noticiário sobre guerra
Por Robert Brand
08 de Março, 2022 | 06:11 pm
Tempo de leitura: 3 minutos

Bloomberg — A volatilidade continuou a dominar os mercados financeiros globais, com as ações e o petróleo dos EUA balançando descontroladamente às manchetes relacionadas à guerra na Ucrânia.

O S&P 500 (SPX) fechou em baixa após cair na última hora de negociação, que viu o principal benchmark de ações nos EUA subir quase 2% e cair 1%. O índice recuou quase 3% na segunda-feira, fechando mais de 12% abaixo do recorde de 3 de janeiro. Ações, commodities, moedas estrangeiras e títulos soberanos têm oscilado descontroladamente nas quase duas semanas desde que a Rússia invadiu a Ucrânia, com investidores sintonizados com qualquer mudança de sentimento que possa forçar uma recalibração das avaliações de ativos.

“Não acho que o mercado esteja ignorando nada no momento, para ser honesto com você”, disse JJ Kinahan, estrategista-chefe de mercado da TD Ameritrade, por telefone. “Na verdade, tudo é hipersensível ao que pode acontecer. É tão fluido e vamos ver o que acontece. É muito difícil prever o dia-a-dia.”

O mercado de ações dos EUA se tornou um caldeirão de apostas opostas ligadas à guerra, tendo seus movimentos amplificados por enormes posições de opções que exigem reequilíbrio constante por parte dos traders. Pequenas oscilações para cima e para baixo - muitas vezes desencadeadas por manchetes errôneas ou obsoletas - rapidamente se tornam grandes à medida que os formadores de mercado correm para comprar e vender ações para manter seus livros neutros, um processo conhecido como “hedging gamma”, um termo para um tipo de derivativo de volatilidade.

PUBLICIDADE

“Estamos procurando qualquer indicação de paz”, disse Peter Mallouk, presidente da Creative Planning, que tem cerca de US$ 230 bilhões em ativos sob gestão. Se os mercados receberem essa notícia, “veremos uma recuperação extremamente acentuada”.

Commodities

As sanções e a guerra abalaram especialmente commodities, fazendo com que o petróleo disparasse junto com matérias-primas como níquel e trigo. Isso está complicando a tarefa dos formuladores de política monetária, que enfrentam um delicado equilíbrio no aperto para conter a inflação sem matar a recuperação econômica. Autoridades do Federal Reserve devem se reunir em 16 de março para revisar as taxas de juros.

“Temos uma combinação de inflação em alta e condições financeiras mais apertadas, e isso está colocando todos nós em um aperto”, disse Kathy Jones, estrategista-chefe de renda fixa da Charles Schwab, na Bloomberg. “Acho que o risco é de mais apertado do que o esperado, e não de menor.”

Embora uma nova rodada de estímulo da UE seja um alívio bem-vindo para ativos mais arriscados, incluindo ações, os detalhes do plano permanecem incompletos, mantendo os investidores no limite e a volatilidade elevada.

PUBLICIDADE

“A reação de hoje talvez seja de curto prazo; precisamos de algo mais sólido”, disse Jane Foley, chefe de estratégia de câmbio do Rabobank, na Bloomberg TV. “A realidade é que a segurança energética da Europa tem um enorme ponto de interrogação e há uma névoa, portanto, sobre as perspectivas econômicas para a zona do euro.”

A proposta de venda de títulos pode ser apresentada depois que os líderes do bloco realizarem uma cúpula de emergência em Versalhes, França, de 10 a 11 de março, segundo autoridades familiarizadas com os preparativos. A medida extraordinária ocorre apenas um ano depois que a UE lançou um pacote de emergência de 1,8 trilhão de euros (US$ 2 trilhões) apoiado por dívida conjunta para financiar os esforços dos Estados membros para lidar com a pandemia. Agora, o bloco enfrenta enormes necessidades de financiamento à medida que começa a reformular sua infraestrutura militar e energética.

O JPMorgan Chase & Co. (JPM) disse que removerá os títulos russos de todos os seus índices, isolando ainda mais os ativos do país de investidores globais. O rublo (RUB) teve pouca variação nos mercados offshore, enquanto os mercados locais da Rússia permanecem fechados até pelo menos quarta-feira.

Aqui estão alguns eventos importantes desta semana:

  • Evento de novos produtos da Apple, terça-feira;
  • Relatório de estoques de petróleo bruto da EIA, quarta-feira;
  • China: Financiamento agregado, PPI, CPI, oferta de dinheiro, novos empréstimos em yuan, quarta-feira;
  • O presidente do Reserve Bank of Australia, Philip Lowe, fala, quarta e sexta-feira;
  • Presidente do Banco Central Europeu, Christine Lagarde, fala após reunião de política, quinta-feira;
  • EUA: CPI, pedidos de seguro desemprego, quinta-feira;

Alguns dos principais movimentos nos mercados:

Ações

  • O índice S&P 500 (SPX) terminou em baixa de 0,7%;
  • O Nasdaq 100 (NDX) recuou 0,4%;
  • O índice Dow Jones Industrial Average (INDU) caiu 0,6%;
  • O MSCI World recuou 0,7%;

Moedas

  • O Bloomberg Dollar Spot Index (DXY) operava estável;
  • O iene japonês (JPY) recuava 0,3% para 115,65 por dólar;
  • O euro (EUR) subia 0,5% para US$ 1,0906;

Renda fixa

  • O rendimento dos títulos do Tesouro de 10 anos subiu oito pontos base para 1,86%;
  • O rendimento de 10 anos da Alemanha subiu 13 pontos base para 0,11%;

Commodities

  • O petróleo bruto West Texas Intermediate (WTI) subiu 4,6% para US$ 124,85 o barril;
  • O ouro subiu 3,2% para US$ 2.059,40 a onça.

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

PUBLICIDADE