Internacional

Morgan Stanley e Citi veem tempestade à frente para mercado de ações

Risco de queda permanece mais agudo nas próximas 6 a 8 semanas, escreveram analistas na última semana

Estrategistas alertam para o fim do rali das ações
Por Nikos Chrysoloras
07 de Março, 2022 | 09:08 am
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — Enquanto os mercados de ações afundam em todo o mundo, estrategistas do Morgan Stanley (MS) e do Citigroup (C) dizem que uma tempestade perfeita parece estar se formando.

“O risco de queda permanece mais agudo nas próximas 6 a 8 semanas”, escreveu Michael Wilson, do Morgan Stanley, em nota aos clientes. “Estamos firmemente nas garras de um mercado em baixa que é incompleto tanto em tempo quanto em preço.”

Separadamente, os estrategistas do Citi liderados por Jamie Fahy disseram que as estimativas globais de um analista de rastreamento de medidores sobre lucros corporativos se tornaram negativas pela primeira vez desde setembro de 2020. Este é um potencial “divisor de águas”, corroendo sua convicção sobre as perspectivas de ativos de risco.

A entrega de lucros é “importante” em um momento em que a liquidez está sendo sugada pelos bancos centrais em todo o mundo, disseram os estrategistas do Citi. “Remover esse suporte pode deixar alguns índices flutuando no ar.”

PUBLICIDADE

Um rali feroz nas ações dos mercados desenvolvidos chegou a um fim abrupto no início deste ano, em meio a preocupações de que leituras recordes de inflação levarão os bancos centrais a apertar agressivamente a política. A invasão da Ucrânia pela Rússia desencadeou outro aumento nos preços das commodities, aumentando os temores de que as economias estejam caminhando para um choque estagflacionário.

Vários dos principais indicadores de referência em toda a Europa caíram mais de 20% em relação às altas recentes, enquanto o S&P 500 está pairando em torno de uma correção de 10%. Com os preços do gás e do petróleo em alta, os estrategistas do Citi e do Morgan Stanley dizem que a “destruição da demanda” pode agora ser inevitável.

Otimistas vacilando

“Recomendamos manter uma orientação defensiva, correndo menos riscos do que o normal e buscando empresas com eficiência operacional superior e estabilidade de lucros”, disse Wilson.

O UBS (UBS) rebaixou as ações globais e da área do euro para neutro na segunda-feira, dizendo que a invasão da Ucrânia pela Rússia “ampliou a probabilidade de distribuição para os resultados do mercado de ações”.

PUBLICIDADE

--Com a colaboração de Michael Msika e Thyagaraju Adinarayan

Leia também

Bancos russos recorrem à China após Visa e Mastercard suspenderem negócios

PUBLICIDADE