PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Internacional

Ucrânia: Invasão isola país e retém alimentos e metais

País é o segundo maior exportador global de grãos e um grande exportador de óleo de girassol

Un calle desierta
Por Thomas Biesheuvel e Isis Almeida e Salma El Wardany
24 de Fevereiro, 2022 | 09:51 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — As exportações de commodities da Ucrânia, um dos mais importantes fornecedores de grãos do mundo, estão no meio de um caos depois que a invasão da Rússia forçou o fechamento de portos e ferrovias.

PUBLICIDADE

As empresas de trading não podem mais reservar navios para movimentar mercadorias dentro e fora dos portos do país, disseram pessoas familiarizadas com o assunto. No entanto, alguns navios que já estavam nos portos ainda estavam sendo carregados até a noite de quinta-feira, no horário local, e devem partir, disse uma das pessoas. Um dos maiores clientes das ferrovias disse que o governo suspendeu as operações.

Os solos ricos e férteis da Ucrânia ganharam o apelido de celeiro da Europa. O país é o segundo maior exportador global de grãos e um grande exportador de óleo de girassol. É também um importante produtor regional de pelotas de minério de ferro e aço. Quase todas as commodities que a Ucrânia produz são mercadorias volumosas que exigem infraestrutura ferroviária e portuária para a exportação.

PUBLICIDADE

A situação já está afetando o comércio global de grãos. O Egito, maior importador de trigo do mundo, cancelou sua licitação na quinta-feira depois de receber apenas uma remessa. O trigo russo e ucraniano tendem a aparecer com destaque nas licitações egípcias.

Os navios que estavam sendo carregados na Ucrânia receberam a informação de que terão permissão para partir, mas aqueles que aguardavam para atracar não poderão fazê-lo, disse uma pessoa familiarizada com o assunto. Pelo menos quatro navios que navegavam para portos na Ucrânia pararam antes de chegar a seus destinos e flutuavam em águas a quilômetros do país, de acordo com dados de rastreamento compilados pela Bloomberg.

Pelo menos um navio estava carregando trigo em um porto ucraniano para a Autoridade Geral de Fornecimento de Commodities do Egito, mas parou e a tripulação retornou ao hotel, disse uma pessoa familiarizada com o assunto.

A Agrolino Grain and Oilseeds, que opera na Turquia, Ucrânia e Rússia, tem dois navios prontos para o carregamento, mas os portos ucranianos não conseguem recebê-los, disse o proprietário e diretor administrativo da empresa Saban Buttanri.

A mineradora ucraniana Ferrexpo disse que o governo suspendeu o transporte ferroviário no país. Isso significa que, mesmo que os portos reabram, os embarques serão interrompidos quando os estoques do porto secarem, já que não há circulação terrestre. A gigante do aço ArcelorMittal disse ter reduzido a produção em sua planta para um “mínimo técnico” e que interromperia a produção em suas minas subterrâneas de minério de ferro.

PUBLICIDADE

A Bunge suspendeu as operações em duas instalações de processamento de oleaginosas na Ucrânia e fechou seus escritórios locais devido à ação militar no país, de acordo com um comunicado enviado por e-mail.

Um navio fretado pela Cargill foi atingido em águas ucranianas e está navegando rumo ao sul, em direção a águas romenas, para receber assistência, disse a gigante do comércio agrícola dos EUA.

Veja mais em bloomberg.com