Viagens

Sem bloquinho nem desfile, paulistano foge ao litoral e inibe comércio

Faturamento deve cair 35%, estima entidade; confira o impacto do Carnaval com restrições para hotelaria, transportes e e-commerce

Praia do Jabaquara, em Ilhabela, litoral norte de São Paulo, um dos principais destinos dos paulistanos para curtir as águas do oceano Atlântico
25 de Fevereiro, 2022 | 08:30 pm
Tempo de leitura: 6 minutos

São Paulo — São Paulo, maior metrópole do Brasil, deve registrar o tradicional êxodo dos paulistanos rumo às praias para curtir o feriado prolongado do Carnaval, entre o fim de semana e a próxima terça-feira (1º). Com isso, os segmentos da economia ligados ao turismo, como hotelaria, bares, restaurantes e transportes, devem sofrer retração, projetou a Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Estado de São Paulo.

Sem a realização de desfiles das escolas de samba na passarela do Anhembi e dos blocos de rua, que estavam no auge do sucesso na capital paulista antes da pandemia da covid, o faturamento do comércio paulista no período deve cair 35% em relação ao do ano passado, segundo a entidade.

Veja mais: Carnaval 2022: confira o que abre e o que fecha em São Paulo

No Carnaval de 2020, última vez que a data foi celebrada, no primeiro ano da pandemia da covid, a venda de bebidas alcoólicas registrou um faturamento de cerca de R$ 1,5 bilhão no estado. A federação estima que, mesmo com o adiamento da celebração do Carnaval para o mês de abril, apenas o setor de alimentação e bebidas não deve sentir o maior impacto no estado, já que o litoral vai receber grande parte da população.

PUBLICIDADE

“Sem desfiles e os tradicionais blocos, a população deve migrar para as regiões litorâneas. Essas regiões vão apresentar números positivos e grande movimentação. Estimamos cerca de 5% de aumento”, projetou o presidente da entidade, Maurício Stainoff, em nota.

Em 2020, o período festivo reuniu cerca de 15 milhões de pessoas, sendo 20% de fora do estado de São Paulo, o que movimentou a indústria do turismo e resultou no faturamento de R$ 8 bilhões. “O Carnaval aumenta a busca por fantasias, máscaras, confetes e outros adereços, mas, neste ano, a procura já apresentou queda de 8% . Os maiores prejudicados serão os municípios onde os blocos de rua são a principal atração. Sem desfiles, a região metropolitana deve apresentar a maior queda nas vendas no balanço final da data”, afirmou Stainoff.

Desfiles das escolas de samba do carnaval paulistano no Sambódromo Anhembi, zona norte  da capital,  foram adiados para as noites dos dias 22 e 23 de abrildfd

Viagens

A recente diminuição da transmissão da variante ômicron, associada ao avanço da vacinação contra a covid, pode ter reflexos no setor de viagens. Os turistas paulistas estão mais dispostos a viajar neste Carnaval, mostrou a pesquisa “Turismo e os pequenos negócios -- Carnaval”, do Sebrae-SP.

PUBLICIDADE

Em média, os turistas devem gastar R$ 1.117 durante o feriado, sendo a maior parte desse valor gasto com hospedagem (R$ 395). Enquanto 31% deles afirmam que devem gastar mais do que no Carnaval do ano passado, 37% dizem que o valor deve ser menor neste ano.

Veja mais: Conheça os sites de viagem mais acessados pelos brasileiros

O levantamento mostrou que 59% dos entrevistados que vão viajar na data pensaram em cancelar por causa da covid, mas mantiveram os planos. Nos últimos 12 meses, porém, 65% afirmaram que chegaram a cancelar uma viagem marcada por temor da pandemia.

A pesquisa, realizada entre os dias 10 e 17 de fevereiro, ouviu 400 turistas que vão viajar no Carnaval e 700 micro e pequenas empresas do setor, entre negócios de hospedagem e agências de viagem.

Transportes

A expectativa é que mais de 5 milhões de veículos percorram as principais rodovias de São Paulo entre esta sexta e a próxima quarta-feira (2), segundo a Secretaria Estadual de Logística e Transportes.

Plataforma de intermediação de viagens rodoviárias do Brasil, a startup Buser informou que deve transportar 140 mil viajantes entre os dias 25 de fevereiro e 6 de março. Comparando com a mesma semana de Carnaval do ano passado, o crescimento será de 30%.

PUBLICIDADE

Entre os trechos com maior número de reservas estão as viagens entre Rio de Janeiro e São Paulo, Belo Horizonte (MG) e Rio, Belo Horizonte e Cabo Frio (RJ), Belo Horizonte e Vitória (ES), além de Belo Horizonte e Guarapari (ES), e Vitória e Rio de Janeiro (sempre nos dois sentidos, ida e volta).

“É um crescimento mais conservador frente ao que vimos no último Natal e Ano Novo, por exemplo. E isso tem relação direta com a pandemia, claro, e com o calendário das festas de Carnaval. De qualquer forma, as pessoas vêm mostrando mais confiança, à medida que a vacinação avança, e foi natural voltarem a viajar. O turismo rodoviário está aquecido”, disse Marcelo Vasconcellos, cofundador da Buser.

Os aeroportos brasileiros também devem registrar uma movimentação maior do que ano passado. Mais de 530 mil passageiros devem embarcar nos voos domésticos e internacionais da Latam Brasil durante o Carnaval 2022, divulgou a companhia aérea.

Entre 25 de fevereiro e 4 de março, a Latam prevê operar 4.148 voos domésticos e internacionais, com até 83% de ocupação média das aeronaves. Fortaleza, Maceió, Natal, Recife e Salvador são os destinos mais procurados pelos seus clientes.

PUBLICIDADE

O volume de voos equivale a 86% da operação da Latam Brasil no Carnaval de 2019 (voos realizados de 1º a 8 de março daquele ano, antes da pandemia de Covid-19). Atualmente, a Latam diz que já voa para mais destinos no Brasil do que antes da pandemia (são 49 hoje contra 44 em 2019).

 No Rio, o Sambódromo da Marquês de Sapucaí vazio às vésperas do Carnaval 2021, que teve o desfile das escolas de samba cancelado devido à pandemiadfd

Rio

Destino clássico do Brasil durante o Carnaval, o Rio de Janeiro não voltou ainda totalmente ao nível pré-pandemia de sua hotelaria, que costumava apresentar lotação máxima nas semanas antes e depois dos desfiles das escolas de samba, com intensa presença de visitantes estrangeiros.

A Associação de Hotéis do Rio de Janeiro divulgou, na última quinta-feira, que cerca de 80% da rede hoteleira do município do Rio de Janeiro está reservada para o último fim de semana de fevereiro.

Regiões como Ipanema, Leblon, Barra da Tijuca, Recreio dos Bandeirantes e São Conrado estão com a ocupação ainda mais alta, próxima dos 90%. Já no interior do estado, a média é de 78% dos quartos reservados, porém, Arraial do Cabo, um dos principais pontos turísticos do litoral brasileiro, registra números superiores a 95%. Paraty, em segundo lugar, tem 90% de ocupação.

PUBLICIDADE

E-commerce

O Carnaval deste ano foi cancelado ou suspenso em 24 capitais e no Distrito Federal, por causa do aumento no número de casos de covid no Brasil e do avanço da variante ômicron. Até as celebrações mais tradicionais, como o Carnaval de Salvador, foram canceladas. Os desfiles das escolas de samba de São Paulo e do Rio de Janeiro foram remarcados para o feriado de Tiradentes, em 21 de abril.

Com as pessoas em casa nesse período, as vendas online podem ser favorecidas e repetir o desempenho positivo do setor no ano passado. O e-commerce do país teve um faturamento recorde em 2021, atingindo mais de R$ 161 bilhões, alta de 26,9% ante o ano anterior, segundo levantamento da Neotrust, que monitora o e-commerce brasileiro.

PUBLICIDADE

“O fato é que a transformação digital é um caminho sem volta, considerando que a tecnologia está cada vez mais presente no nosso dia a dia. A grande vantagem da digitalização é a eliminação de intermediários e isso significa benefícios para o consumidor, que passa a ter total controle sobre suas decisões de compra”, diz o especialista em logística Antonio Wrobleski, da Pathfind, empresa de software para a cadeia logística.

Leia também

Low cost da Colômbia, Viva Air terá voo direto entre SP e Medellín

Sérgio Ripardo

Sérgio Ripardo

Jornalista brasileiro com mais de 25 anos de experiência, com passagem por sites de alcance nacional como Folha e R7, cobrindo indicadores econômicos, mercado financeiro e companhias abertas.

PUBLICIDADE