Negócios

Vamos tem resultado recorde e busca agora mais clientes

Empresa registra lucro mais do que duas vezes superior, mas resistência cultural para modelo de negócio ainda limita avanço

Grupo Vamos tem melhor resultado desde seu IPO no ano passado
17 de Fevereiro, 2022 | 09:40 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg Línea — A Vamos (VAMO3), empresa do grupo Simpar (SIMH3) que atua na locação e comercialização de veículos pesados e máquinas como caminhões, tratores e empilhadeiras, apresentou hoje o maior lucro líquido desde seu IPO, em janeiro do ano passado. Os R$ 117,7 milhões registrados no quarto trimestre de 2021 representam um desempenho mais do que duas vezes superior ao lucro do mesmo período do ano anterior. A receita trimestral totalizou R$ 807,2 milhões, 90,7% maior do que a registrada no quarto trimestre de 2020, enquanto o Ebitda do período foi de R$ 300,5 milhões, um crescimento de quase 70%.

A sequência de resultados trimestrais positivos é atribuída ao modelo de negócios implementado pela empresa no Brasil. Segundo Gustavo Henrique Couto, CEO da Vamos, o sistema de locação de máquinas e caminhões e a comercialização de veículos novos e seminovos consegue atender diferentes setores econômicos e em situações financeiras distintas. “Para setores como o agronegócio, que está indo muito bem, o cliente deixa de alocar capital na compra de máquinas e caminhões para investir em sua produção, com redução de custo e ganho de eficiência. Para setores que ainda não se recuperaram totalmente da pandemia, podemos comprar a frota do cliente e alugar os veículos que ele precisa. Ele renova a frota, reduz os custos, ganha mais eficiência e ainda alavanca capital”, diz Couto.

Veja mais: Simpar, dona da Movida, vai investir até R$ 12 bi em 2022

Agora, a Vamos mira na ampliação de sua base de clientes. No ano passado, a companhia já dobrou esse número e fechou 2021 com 690 clientes e 1.470 contratos assinados. Em entrevista à Bloomberg Línea, Couto disse que apenas 1% da frota de 2,1 milhões de caminhões é alugada e que a participação da Vamos na frota dos clientes é de 20%. Na prática, a empresa teria oportunidades para ganhar espaço e crescer tanto horizontal como verticalmente no Brasil. “E por que não nas duas frentes? A frota do Brasil tem idade média de 21 anos e isso nos dá um caminho enorme para crescer”, diz o executivo.

PUBLICIDADE

Veja mais: Caminhões-autônomos são testados nos EUA

Na estratégia de crescimento, a Vamos busca atingir a marca de 100 mil ativos alugados até 2025. Isso significa quase que quadruplicar o cenário atual. A empresa fechou 2021 com cerca de 27 mil ativos alugados. Segundo Couto, o número superou levemente a expectativa do ano, que era de ter 22 mil desses ativos em sua operação. Para este ano, todas as compras necessárias já foram contratadas junto às montadoras. Apenas para manter seu crescimento orgânico, a empresa terá um investimento de capex entre R$ 4,3 bilhões e R$ 4,8 bilhões em 2022.

Alexandre Inacio

Alexandre Inacio

Jornalista brasileiro, com mais de 20 anos de carreira, editor da Bloomberg Línea. Com passagens pela Gazeta Mercantil, Broadcast (Agência Estado) e Valor Econômico, também atuou como chefe de comunicação de multinacionais, órgãos públicos e como consultor de inteligência de mercado de commodities.

PUBLICIDADE