PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Viagens

Copa do Mundo: quanto custa viajar para o Catar saindo da América Latina?

País asiático se prepara para receber 1,2 milhão de pessoas; quantos salários mínimos são necessários em cada país para a viagem?

FIFA afirmou que Argentina, México, Brasil e Estados Unidos estão entre os países que mais apresentaram interesse em ingressos durante a primeira rodada de vendas
12 de Fevereiro, 2022 | 05:14 pm
Tempo de leitura: 6 minutos

Bloomberg Línea — O Catar é um país com população menor que a cidade de Buenos Aires, mas está se preparando para receber o torneio de futebol mais importante do mundo. Segundo relatos dos organizadores, o país espera a chegada de mais de 1,2 milhão de visitantes durante a Copa do Mundo, que acontecerá entre novembro e dezembro, e que receberá pelo menos sete seleções americanas que ainda disputam a passagem para Ásia: quatro vagas e uma repescagem da Conmebol, que reúne países da América do Sul, e três vagas e uma repescagem da Concacaf, que reúne nações da América Central e do Caribe, além da América do Norte.

Com o fim das eliminatórias se aproximando, o foco é voltado para as equipes que poderão disputar a Copa do Mundo e muitos torcedores já começaram a fazer contas para comparecer ao evento da FIFA. Conforme divulgado pelo órgão máximo do futebol mundial, Argentina, México, Brasil e Estados Unidos estão entre os países que mais solicitaram ingressos durante a primeira rodada de vendas.

Nesse primeiro período, que já começou, os pedidos de compra podem ser enviados até 8 de fevereiro. Se os pedidos excederem a oferta, disse a FIFA, os ingressos serão selecionados aleatoriamente e, depois disso, por ordem de chegada.

Além do preço dos ingressos (para três jogos da primeira fase) e da estadia, quem pretender viajar deve lembrar que, ao contrário de outras edições do evento, os estádios estão muito próximos uns dos outros. Nenhum dos jogos será disputado a mais de 50 quilômetros de Doha, capital do Catar.

PUBLICIDADE

No total, são oito estádios – um reformado e sete novos em folha – após um investimento de US$ 10 bilhões. Todos serão climatizados, pois a temperatura média da época gira em torno de 29°C. Apesar de ser uma temperatura alta, está longe dos 42 graus do verão.

A Bloomberg Línea calculou quanto custaria ir à Copa do Mundo, saindo dos principais países da América Latina, e quantos salários mínimos seriam necessários para isso. Para este exercício, foi utilizada a plataforma Kayak para pesquisa de passagens aéreas e Airbnb para hospedagem, pois no momento da realização dessa pesquisa praticamente todos os hotéis estavam sem disponibilidade em plataformas como o Booking.

Os organizadores discutiram a possibilidade de os turistas ficarem em dois navios de cruzeiro da MSC Cruzeiros, com um total de 3.898 cabines. Considerando que as tarifas dos cruzeiros dependem da duração e das características de cada viagem, não há parâmetros para estimar o possível custo de uma cabine durante a Copa do Mundo. Acredita-se também que haverá acampamentos no deserto, mas os detalhes também não foram revelados. Essas medidas não são extremas se levarmos em conta que o país se prepara para receber um valor equivalente a quase metade de seus habitantes.

As pesquisas para este exercício foram feitas em dólares e a conta final foi convertida para a moeda local de cada país, de acordo com o câmbio de 31 de janeiro. As viagens de avião partiram da capital de cada um dos países, numa viagem entre 18 de novembro e 3 de dezembro, considerando que a primeira fase do campeonato vai de 21 de novembro a 2 de dezembro. Em todos os casos, será necessário fazer pelo menos uma escala, e escolhemos a melhor opção que a plataforma ofereceu.

PUBLICIDADE

Os ingressos para os jogos são da Categoria 2: atrás dos gols na maioria dos casos, fora das áreas preferenciais do estádio e locais destinados a pessoas com deficiência e moradores do Catar.

Argentina

A seleção de Lionel Messi já está classificada para a Copa do Mundo do Catar, com 32 pontos nas eliminatórias. Segundo o portal especializado Transfermarkt, a equipe comandada pelo técnico Lionel Scaloni tem um valor de mercado superior a US$ 700 milhões. Para viajar ao campeonato, um argentino terá que desembolsar quase US$ 9 mil, levando em conta o câmbio do dólar paralelo.

Brasil

A seleção brasileira foi a primeira da América do Sul a se classificar para a Copa do Mundo deste ano. A equipe não perdeu um único jogo nas eliminatórias e fez 36 pontos nos 14 jogos que foram disputados. Como de costume, é uma das favoritas para vencer o campeonato.

Chile

Na sétima posição, e após uma eliminatória regular, o Chile vai mal na classificação para a Copa. No entanto, é um dos países que precisa de menos salários mínimos para pagar uma viagem à Copa do Mundo, dentro dos parâmetros selecionados. Os chilenos precisariam de 16,4 salários mínimos para viajar a Doha e curtir o torneio.

Colômbia

A seleção colombiana vem de duas Copas do Mundo consecutivas, após a era de sucesso de José Néstor Pékerman. No entanto, sua terceira participação consecutiva está em cheque; por enquanto, a seleção sonha com o quinto lugar, o que lhe permitiria disputar uma repescagem para chegar à Copa de 2022. Os colombianos, além de seu desempenho regular, também enfrentam a desvalorização da moeda, que em 2021 perdeu 15,94% em relação ao dólar.

Equador

A economia dolarizada do Equador facilitou as contas. Além disso, os equatorianos são atualmente o terceiro melhor time, depois de Brasil e Argentina. Com sete vitórias nas eliminatórias, sua vaga está garantida.

PUBLICIDADE

México

Das economias escolhidas, a mexicana é a única que não joga na Conmebol, junto com o Panamá. A seleção, com valor de mercado de US$ 201 milhões, está em terceiro lugar na rodada final da Concacaf, que classifica três equipes diretamente e mais uma que passará por uma repescagem.

O salário mínimo no México aumentou de 141,7 para 172,87 pesos por dia para 2022. Para fazer os cálculos, foi considerada a renda mínima geral, que este ano será de 5.258,12 pesos por mês.

Panamá

O Panamá está na quarta posição na Concacaf, então teria que disputar a repescagem com o país da Oceania que puder aproveitar a ocasião. Será uma única partida, disputada entre os dias 13 e 14 de junho, embora a data e horário ainda não tenham sido definidos. No entanto, na hora de fazer as contas, os panamenhos estariam entre os que precisam dispor de menos salários mínimos para assistir a Copa do Mundo pessoalmente.

O salário mínimo do país é dividido em vários setores, porém, a faixa vai de US$ 326,56 para funcionários de pequenas empresas e US$ 403 para os de grandes empresas. Este foi o que utilizamos para os cálculos.

PUBLICIDADE

Peru

A seleção peruana, comandada pelo técnico argentino Ricardo Gareca, foi uma das surpresas dessas eliminatórias. Depois de vencer a Colômbia em Barranquilla, a equipe com um valor de mercado de US$ 72 milhões entrou nas primeiras posições da tabela e está entre os que podem se classificar direto. Essas são as contas que os peruanos teriam que fazer se, caso a seleção se classifique, quisessem acompanhar seu time no Catar.

Uruguai

A seleção uruguaia luta para se classificar para o Catar 2022, após o fim do ciclo de Óscar Washington Tabárez, o técnico que liderou a seleção por mais tempo. O Uruguai deve passar por uma repescagem teria que disputar a vaga com uma equipe da Ásia. Se a seleção conseguir se classificar, os uruguaios teriam que gastar pelo menos 14,97 salários mínimos para assistir à Copa do Mundo.

Preços, taxas e indicadores revisados pela equipe editorial da Bloomberg Línea em 31 de janeiro de 2022. Isso pode variar de acordo com a disponibilidade de produtos e serviços, o horário e o dia das pesquisas, bem como a taxa de câmbio em cada país incluído no exercício.

--Esta notícia foi traduzida por Bianca Carlos, localization specialist da Bloomberg Línea.

Leia também

Carlos Rodríguez Salcedo (BR)

Carlos Rodríguez Salcedo (BR)

Jornalista colombiano, especializado em economia. Fui jornalista e editor do jornal La República, com experiência em questões macroeconômicas, comerciais e financeiras. Eu também trabalhei para a agência de notícias Colprensa.