Mercados

Petróleo se estabiliza com queda nos estoques dos EUA e Irã em foco

Rali esfriou esta semana depois que uma série de ganhos semanais impulsionou os preços para o patamar mais alto desde 2014

Tubería de gas
Por Elizabeth Low e Alex Longley
10 de Fevereiro, 2022 | 08:08 am
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — Os preços do petróleo permaneceram estáveis com a queda nos estoques dos EUA e a demanda estrondosa compensada pelo potencial retorno de suprimentos do Irã.

Os futuros em Nova York eram negociados perto de US$ 90 o barril nesta quinta-feira (10), após subirem 0,3% na sessão anterior. Os estoques de petróleo dos EUA caíram cerca de 4,8 milhões de barris na semana passada, segundo dados do governo, com os estoques nacionais de petróleo mais baixos desde 2018.

Os investidores também estão de olho nas negociações destinadas a reviver um acordo nuclear com o Irã. Um acordo que aborda as preocupações de todos os lados está à vista, disse a secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, na quarta.

Também importante, as forças russas iniciaram exercícios militares conjuntos na Bielorrússia, que incluem exercícios perto da fronteira com a Ucrânia, bem como perto da Polônia e da Lituânia, ambos membros da aliança militar Otan. A Rússia negou repetidamente que planeja um ataque à Ucrânia depois que os EUA e seus aliados alertaram que um acúmulo de cerca de 130 mil soldados russos perto da fronteira ucraniana pode ser uma preparação para um ataque.

PUBLICIDADE

Veja mais: Como a escalada do conflito entre Rússia e Ucrânia afetaria a AL?

O rali do petróleo em 2022 esfriou esta semana depois que uma série de ganhos semanais impulsionou os preços para o patamar mais alto desde 2014. A demanda mais forte do que o esperado e uma série de interrupções no fornecimento ajudaram a apertar o mercado, que foi exacerbado pela incapacidade da Opep+ de manter as promessas de produção.

As perspectivas de as potências mundiais retomarem o acordo nuclear com o Irã se tornaram mais prováveis em meio a uma enxurrada de acordos diplomáticos à medida que as negociações foram retomadas nesta semana em Viena. Um acordo abriria o caminho para um aumento nas exportações oficiais de petróleo do produtor da Opep, aliviando alguma tensão do mercado.

“No curto prazo, a direção do preço do petróleo será uma batalha entre um mercado físico muito apertado e o potencial retorno dos barris iranianos em meio ao forte impulso nas negociações nucleares”, disse Helge Andre Martinsen, analista sênior de mercado de petróleo do DNB Bank ASA.

PUBLICIDADE

Preços do petróleo

  • O West Texas Intermediate (WTI) para março subia 0,2%, para US$ 89,85 o barril às 7h15, horário de Brasília.
  • Brent (BRENT) para liquidação de abril foi pouco alterado em US$ 91,57.

Os estoques de petróleo dos EUA no principal centro de armazenamento de Cushing caíram pela quinta semana para o nível mais baixo desde novembro, segundo dados da Administração Internacional de Enegia. A média de quatro semanas para produtos petrolíferos fornecidos - um indicador de demanda - subiu para um recorde na semana passada.

Mais notícias sobre o mercado de petróleo

  • A gigante francesa de energia TotalEnergies prometeu aumentar os dividendos e recomprar mais ações depois de registrar um grande aumento no lucro do quarto trimestre.
  • A Coreia do Sul disse que está pronta para explorar as reservas estratégicas de petróleo se as tensões entre a Rússia e a Ucrânia resultarem em interrupções no fornecimento.
  • A empresa de investimentos privados BlueCrest Capital Management, cofundada pelo bilionário Michael Platt, está em uma onda de contratações para traders que podem lucrar com uma alta em commodities.

Leia também

Disney divulga balanço e supera com folga as estimativas do streaming

TikTok aperta regras para barrar comportamentos transfóbicos

PUBLICIDADE