Internacional

Rússia: Putin fala com Macron após se encontrar com Fernandez, da Argentina

Presidente russo também diz que foi ‘destrutivo’ para o presidente americano Joe Biden mover tropas adicionais para a Europa

Presidente Vladmir Putin segue falando que não pretende invadir a Ucrânia
Por Daniel Flatley e Ian Fisher
03 de Fevereiro, 2022 | 10:37 am
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — Confira atualizações sobre as tensões na Europa envolvendo uma possível invasão da Ucrânia pela Rússia:

Reino Unido intercepta mais aeronaves após interação com a Rússia (9h51, horário de Brasília)

O Reino Unido enviou caças Typhoon contra aeronaves “que se aproximavam da área de interesse do Reino Unido” pelo segundo dia consecutivo, depois de escoltar quatro bombardeiros russos estratégicos na quarta-feira (2). O Ministério da Defesa não comentou a nacionalidade da última aeronave.

Veja mais: Putin sugere que conversas podem ajudar a acalmar tensão com EUA e Otan

Isso ocorre quando as tensões aumentam entre o Reino Unido e a Rússia. O primeiro-ministro Boris Johnson falou com Putin na quarta e alertou que seria um “trágico erro de cálculo” se Moscou atacasse a Ucrânia. Ainda assim, tais interceptações de aeronaves militares russas não são incomuns, e os aviões nunca entraram no espaço aéreo soberano do Reino Unido sem autorização.

PUBLICIDADE

União Europeia coordena respostas a cartas russas (9h32)

Os membros da União Europeia estão coordenando a resposta às cartas entregues no início desta semana pela Rússia a vários países reiterando as preocupações de segurança, disse a presidente da Comissão, Ursula von der Leyen.

“Estamos unidos na União Europeia e, portanto, é claro que a resposta vai espelhar, ou refletir, essa unidade”, disse von der Leyen a repórteres em Helsinque na quinta-feira.

Conflito pode prejudicar ainda mais as cadeias de suprimentos (8h54)

As cadeias de suprimentos globais, já atingidas pela pandemia de covid-19, seriam ainda mais prejudicadas por um novo conflito sobre a Ucrânia. Mais de 1.100 empresas norte-americanas e 1.300 empresas europeias têm pelo menos um fornecedor direto na Rússia, e ambas as economias têm mais de 400 na Ucrânia, segundo a Interos, uma empresa de resiliência operacional com sede em Arlington, Virgínia.

Veja mais: Putin enviou mais tropas para fronteira com a Ucrânia, diz Pentágono

PUBLICIDADE

A participação dos chamados fornecedores de primeira linha é relativamente baixa de 0,75%, mas a proporção sobe acima de 2% quando os fornecedores indiretos são incluídos.

Em sua postagem no blog, a Interos diz que há quatro áreas principais a serem observadas se a luta começar: preços e oferta de commodities; controles e sanções de exportação; cibersegurança; e instabilidade geopolítica mais ampla.

ING diz que não é necessário pânico com tensões na Rússia (8h51)

O ING Group, que opera na Rússia desde a queda da cortina de ferro, diz que não é hora de entrar em pânico, apesar das crescentes tensões. Com 5 bilhões de euros (US$ 5,6 bilhões) de empréstimos pendentes, a Rússia e a Ucrânia respondem por menos de 1% da carteira de empréstimos do ING, segundo o CEO Steven van Rijswijk.

“Não temos intenção neste momento de deixar nossa franquia russa”, disse ele.

03/02/2022 - 9h25

A Rússia disse que foi destrutivo para o presidente americano Joe Biden mover tropas adicionais para a Europa e estacionar outras ao longo do flanco leste da Otan, enquanto o presidente francês Emmanuel Macron se prepara para sua terceira ligação em uma semana com o presidente russo Vladimir Putin para discutir sobre a Ucrânia.

  • Putin deve falar com repórteres nesta quinta-feira (3) depois de se encontrar com o presidente argentino Alberto Fernandez, um dia depois que o Pentágono disse que cerca de 2.000 soldados viajarão dos EUA para a Europa nos próximos dias. Outros mil soldados baseados na Alemanha serão implantados na Romênia.
  • A Rússia denunciou a presença de tropas da Otan perto das fronteiras russas, mesmo quando Moscou continuou seu acúmulo de forças perto da Ucrânia para bem mais de 100 mil. Autoridades ocidentais continuam a alertar sobre punir sanções econômicas se a Rússia invadir a Ucrânia, o que o Kremlin nega que pretenda fazer.
  • O presidente turco Recep Tayyip Erdogan viaja para a Ucrânia hoje.

Leia também

PUBLICIDADE

XP quer investir em até 30 startups em novo fundo de venture capital

Petróleo sai das máximas com dúvida sobre capacidade de produção da Opep+

PUBLICIDADE