Finanças pessoais

Maior ETF de commodities atrai aporte recorde com escalada da inflação

Invesco Optimum Yield Diversified Commodity Strategy teve entradas de US$ 1,1 bi em janeiro

Produtos como soja se tornam hedge de inflação
Por Alex Longley e Emily Graffeo
03 de Fevereiro, 2022 | 04:35 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

O maior fundo de commodities negociado em bolsa atraiu quantias recordes em janeiro, já que o aumento do valor das matérias-primas atrai investidores preocupados com a inflação.

O ETF Invesco Optimum Yield Diversified Commodity Strategy (PDBC), de US$ 5,8 bilhões, ticker PDBC, teve entradas de US$ 1,1 bilhão em janeiro, o maior valor em um único mês desde o seu início em 2014. Ele ganhou 7,8% em janeiro, seu maior ganho desde abril.

Os mercados de commodities dispararam no início de 2022. O Bloomberg Commodity Spot Index, que acompanha 23 contratos futuros de energia, metais e produtos agrícolas, atingiu um recorde. O aumento ocorre quando os mercados globais se preocupam com a aceleração da inflação, o que leva operadores a precificarem ciclos de aperto monetário mais rápidos neste ano.

“Dado o recente pânico em torno da continuidade da alta da inflação e a volatilidade das ações, juntamente com o desempenho de várias commodities, não é surpresa que os investidores estejam comprando o fundo”, disse Sylvia Jablonski, diretora de investimentos da Defiance ETFs. “Tem sido um bom lugar para se esconder.”

PUBLICIDADE

O fundo detém futuros de commodities como a maior parte de seus ativos. A maior exposição em dólar é em óleo de calefação na Nymex, que subiu nas últimas semanas com o frio que atinge partes dos EUA.

O fluxo de entrada também continua durante fevereiro.

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

PUBLICIDADE