Brasil

Bolsonaro e Castillo reúnem-se para tratar de integração regional

Encontro desfez um mal-estar que vinha desde a vitória de Castillo sobre Keiko Fujimori, quando Bolsonaro disse ‘perdemos o Peru’

Um dos temas que Bolsonaro levou ao encontro foi a chamada Rodovia do Pacífico, a ligação rodoviária entre o Oceano Pacífico
03 de Fevereiro, 2022 | 05:03 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg Línea — Os presidentes do Brasil, Jair Bolsonaro, e do Peru, Pedro Castillo, reuniram-se hoje em Porto Velho, no norte do Brasil, para tratar da relação bilateral entre os dois países. É a primeira vez que os dois chefes de Estado se encontram.

Um dos temas que Bolsonaro levou ao encontro foi a chamada Rodovia do Pacífico, a ligação rodoviária entre o Oceano Pacífico em território peruano e o Brasil, através da fronteira com o Acre.

“Interessa para nós uma saída ao Pacífico e aqui só depende de nós, do Brasil e do Peru, diferentemente de [outras ligações mais ao Sul], que dependem de três países para essa saída”, disse Bolsonaro, pouco antes do encontro.

“Queremos uma América do Sul livre, liberdade de expressão, liberdade de imprensa para todos aqui. Logicamente esse encontro aqui tem a ver com isso, nós só podemos ter uma boa relação se a democracia imperar de fato”

PUBLICIDADE

O encontro desfez um mal-estar que vinha desde a vitória de Castillo sobre Keiko Fujimori, quando Bolsonaro disse “perdemos o Peru” – em alusão à rejeição da candidata de direita nas urnas. Hoje, Bolsonaro adotou um tom cortês com o vizinho.

“Tudo superado”, disse Bolsonaro, referindo-se ao episódio, pouco antes de encontrar-se com Castillo.

Na entrevista em Rondônia, o brasileiro disse que mantém uma boa relação com os países sul-americanos (citou Uruguai e Paraguai), mas ressaltou o distanciamento em relação à Venezuela.

“Hoje em dia, chegamos a bater 800 pessoas por dia, saindo da Venezuela, pessoas pobres que vêm atrás de comida aqui. Lá não tem cão nem gato mais para comer. Comeram tudo”, disse Bolsonaro.

Leia também

PUBLICIDADE