PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Mercados

Futuros de NY sinalizam recuperação após lucro forte da Apple

A perspectiva de retirada dos estímulos pelo Fed levou a perdas de US$ 7 trilhões em valor de mercado das ações

Futuros de NY sinalizam recuperação após lucro forte da Apple
Por Sunil Jagtiani
27 de Janeiro, 2022 | 10:21 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — Os mercados asiáticos de ações recuperaram nesta sexta parte das perdas provocadas pela mudança na política monetária pelo Federal Reserve, enquanto os futuros de ações dos EUA subiram após os fortes ganhos da Apple Inc. (AAPL) ajudarem a melhorar o sentimento dos investidores.

As ações têm alta consistente no Japão e na Austrália, mas oscilam na Coreia do Sul.

PUBLICIDADE

Os contratos futuros do Nasdaq 100 (NDX), referência de alta tecnologia, superaram os futuros do S&P 500 (SDX) após um rali das ações da Apple Inc. no after market de Nova York. A fabricante do iPhone reportou vendas recordes, que resistiram a problemas na cadeia de suprimentos.

As ações dos EUA fecharam nesta quinta-feira em baixa após uma sessão volátil, depois de novamente não conseguir manter as altas intradiárias.

Os títulos do Tesouro dos EUA estavam estáveis e a curva de juros mais plana. Um indicador do dólar manteve ganhos em relação às demais moedas globais, em parte devido aos sólidos dados de crescimento dos EUA, que reforçaram as expectativas de aperto do Fed para combater a inflação. O petróleo avançou e o ouro desabou.

PUBLICIDADE

Os mercados monetários agora estão precificando quase cinco aumentos de juros pelo Fed este ano, após o tom agressivo do presidente Jerome Powell na quarta-feira para combater a inflação. Isso está acima dos três aumentos esperados em dezembro. A perspectiva de retirada dos estímulos pelo Fed está afetando os mercados: as ações globais, por exemplo, perderam mais de US$ 7 trilhões este mês.

“Na verdade, o que estamos vendo é uma volatilidade intradiária histórica”, disse Chris Murphy, codiretor de estratégia de derivativos do Susquehanna International Group, à Bloomberg Television. “Tem sido uma jornada incrível até agora este ano.”

Os números mais recentes dos EUA mostraram que o produto interno bruto cresceu a uma taxa anualizada de 6,9% no quarto trimestre, encerrando o ano mais forte desde a década de 1980.

O que acompanhar nesta sexta:

  • Confiança na economia da zona do euro, confiança do consumidor, sexta-feira;
  • Renda do consumidor dos EUA, sentimento do consumidor da Universidade de Michigan, na sexta-feira.

Alguns dos principais movimentos nos mercados:

Ações

  • Os futuros de S&P 500 (ESH2) subiam 0,6% pouco depois das 10h15 em Tóquio (22h15 em Brasília). Na quinta, o S&P 500 (SPX) caiu 0,5%;
  • Os futuros do Nasdaq 100 (NQH2) subiam 1,2%. Na quinta, o Nasdaq 100 (SDX) caiu 1,2%;
  • O índice Topix (TOPIX), de Tóquio, subia 1,4%;
  • O índice S&P/ASX 200, de Sydney, tinha alta de 0,8%;
  • Índice Kospi (KOSPI), de Seul, subia 0,2%;

Moedas

  • O Bloomberg Dollar Spot Index (DXY) operava estável;
  • O euro (EUR) estava em US$ 1,1139;
  • O iene japonês (JPY) estava em 115,46 por dólar;
  • O yuan offshore (CNH) estava em 6,3698 por dólar;

Renda fixa

  • O rendimento dos títulos do Tesouro de 10 anos (GT10) subiam um ponto-base para 1,81%;

Commodities

  • O petróleo bruto West Texas Intermediate (WTI) subia 0,8% para US$ 87,30 o barril;
  • O ouro (XAU) estava em US$ 1.795,80 a onça.

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

PUBLICIDADE