PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Mercados

Mercados veem possibilidade da 1ª alta de meio ponto no Fed desde 2000

Cenário mais provável ainda é o de uma alta de um quarto de ponto em março

Mercados veem possibilidade da 1ª alta de meio ponto no Fed desde 2000
Por Benjamin Purvis e Edward Bolingbroke
18 de Janeiro, 2022 | 09:30 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — Os mercados de juros de curto prazo estão precificando a possibilidade cada vez maior de que o Federal Reserve possa optar por fazer o primeiro grande aumento nos custos de empréstimos em mais de duas décadas.

Embora uma alta de um quarto de ponto ainda seja o cenário mais provável, os mercados de swap agora estão precificando mais de 25 pontos-base de aperto até o final de março. Sem nenhum movimento previsto na reunião deste mês, isso sugere que os traders estão pelo menos contemplando a possibilidade de um aumento de 50 pontos-base em março. O Fed não aperta tanto a política monetária de uma só vez desde maio de 2000, quando seu ciclo de alta de juros já estava em andamento.

PUBLICIDADE

A perspectiva de um aumento no ritmo de aperto nos últimos dias pode ter adicionado combustível ao “sell-off” nos mercados de títulos do Tesouro dos EUA nesta terça-feira, o que fez com que os rendimentos subissem com consistência. O CEO do JPMorgan Chase & Co. (JPM), Jamie Dimon, alertou na semana passada que o aperto do Fed pode não ser tão “doce e gentil” como alguns esperam, enquanto o investidor bilionário Bill Ackman disse que o Fed deveria aumentar sua taxa de juros em 50 pontos-base em março para “restaurar sua credibilidade”.

O Comitê Federal de Mercado Aberto “precisa preparar o público para a possibilidade de apertar em 50 pontos-base em março”, escreveu William Nelson, economista-chefe do Bank Policy Institute e ex-funcionário do Fed.

O banco central americano está atrás da curva, de acordo com Nelson, e por isso deve estar preparado para apertar mais rápido os juros, se necessário. Também deve evitar ficar preso a um caminho, permitindo que o mercado se convença de que as altas serão apenas graduais, escreveu ele em nota na terça-feira.

PUBLICIDADE

Até esta semana, os dados de posicionamento mais recentes da Commodity Futures Trading Commission mostraram que os fundos de hedge estenderam as posições vendidas líquidas de eurodólar ao máximo desde dezembro de 2018, enquanto que os investidores que estavam mais adiante na curva estão agora vendidos nos futuros de notas de 10 anos, na maior posição desde fevereiro de 2020.

No mercado de eurodólar, as estratégias que protegem contra as altas do Fed têm sido procuradas, com volumes de opções acima do normal. Algumas dessas posições acumularam no contrato de opções de junho, que deve ser pago se o Fed aumentar as taxas em 50 pontos base na reunião de março.

Os swaps relacionados ao Fed atualmente mostram cerca de 28 pontos base de aperto para março e cerca de um ponto percentual completo para todo o ano de 2022.

“Se a inflação ficar fora de controle, o Fed pode ter que subir os juros mais de quatro vezes e pode até considerar aumentos de 50 bps em vez dos 25 bps em nosso cenário básico”, disse Philip Marey, estrategista sênior do Rabobank nos EUA em uma nota. “A menos que vejamos um revés na economia real, esperamos que o Fed suba a cada trimestre deste ano.”

--Com a assistência de Rich Miller, Christopher Anstey e Ruth Carson.

Veja mais em Bloomberg.com

© 2022 Bloomberg L.P.

PUBLICIDADE