PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Green

Citigroup diz que rejeitar cliente é ‘último recurso’ em meta ESG

Um dos objetivos é reduzir as emissões de carbono que o banco financia no setor de energia em 29% nos próximos oito anos

Jane Fraser, CEO do Citigroup: “Desenvolver planos e fazer a transição para o ‘net-zero’ junto com os clientes"
Por Jenny Surane
19 de Janeiro, 2022 | 08:53 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — O Citigroup (C) estabeleceu novas metas para reduzir as emissões de carbono em projeto que ajuda a financiar e disse que só descartaria clientes se tudo mais falhasse no esforço do banco para reduzir seu impacto nas mudanças climáticas.

“Nossa intenção é trabalhar com todos os nossos clientes, incluindo nossos clientes de combustíveis fósseis, para desenvolver planos e fazer a transição para o ‘net-zero’ juntos”, disse a CEO Jane Fraser. “Continuaremos a avaliar nossos relacionamentos com clientes e priorizaremos parcerias em estratégias de transição antes de recorrer a saídas de clientes como último recurso.”

PUBLICIDADE

Um dos objetivos é reduzir as emissões de carbono que o banco financia no setor de energia em 29% nos próximos oito anos, de acordo com relatório divulgado na quarta-feira. O Citigroup também buscará reduzir em 63% a intensidade de emissões da carteira de empréstimos que faz ao setor elétrico.

Os compromissos colocarão o Citigroup no caminho para atingir sua meta de zero emissões líquidas de gases de efeito estufa em suas atividades de financiamento até 2050, disse a instituição. Fraser estabeleceu essa meta em seu primeiro dia como CEO no ano passado. O Citigroup tem sido por muito tempo um dos principais bancos para empresas de combustíveis fósseis, embora tenha se comprometido a financiar US$ 1 trilhão em atividades sustentáveis nos próximos anos.

Como parte do plano net-zero, Fraser disse que o Citigroup incentivará os clientes a buscar a suspensão de ativos intensivos em carbono ao invés de ajudá-los a vender essas operações. A instituição também está de olho em como seu esforço afetará os países em desenvolvimento, onde pode haver acesso limitado a recursos energéticos.

PUBLICIDADE

“Vamos nos esforçar para atender às necessidades atuais dos países em desenvolvimento sem causar impactos sociais negativos ou exacerbar as desigualdades existentes, para que possamos ajudar esses mercados a priorizar a transição para ‘net-zero’, equilibrando as necessidades ambientais e sociais”, disse Fraser em carta que acompanha o relatório.

O Citigroup também prometeu atingir zero emissões líquidas de gases de efeito estufa em suas próprias operações até 2030. Como parte desses esforços, o banco disse que buscará reduzir os resíduos que produz em 7.000 instalações em todo o mundo em 50% até 2025. A empresa também buscará reduzir o consumo de água em suas instalações em 30% durante esse período.

“A ameaça existencial representada pela mudança climática estará conosco por gerações, mas sabemos que é hora desta geração agir”, disse Fraser. “Vamos agir com urgência.”

Veja mais em bloomberg.com

Leia também

PUBLICIDADE