PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Mercados

Setor de tecnologia deve se recuperar do escorregão de US$ 1,1 tri

Otimismo impera no setor, que espera que o Federal Reserve evite promulgar políticas que afetem o crescimento

Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — As megacaps do setor de tecnologia dos Estados Unidos subiram nas negociações de pré-mercado, sugerindo um retorno dos compradores de baixa depois que a liquidação da semana passada eliminou US$ 1,1 trilhão do valor do Índice Nasdaq Composite (CCMPDL).

Os futuros da Nasdaq 100 (NDX) subiam 0,6% às 4h52 de Nova York, (6h52, no horário de Brasília) – a Tesla (TSLA) subia 1,8% e a Apple (AAPL) aumentava 1%. A Microsoft (MSFT) e a Meta Platforms (FB) também foram nomes que apresentaram ganhos.

PUBLICIDADE

A movimentação amplia a maior recuperação desde 23 de março de 2020, quando a Nasdaq eliminou uma queda que chegou a 2,7% no pior cenário, terminando em alta de 0,1%. O otimismo de que um Federal Reserve mais hawkish tentará evitar prejudicar o crescimento, juntamente com os sinais de que a variante ômicron pode estar atingindo o pico está ajudando o sentimento dos investidores.

Na semana passada, a Nasdaq sofreu um tombo de quatro dias que derrubou o índice mais de 8% abaixo do recorde de novembro.

“Os mercados já estão precificando um ciclo de alta muito agressivo do Fed”, disse Esty Dwek, diretor de investimentos do Flowbank. “No médio a longo prazo, ainda gostamos de ações do setor de tecnologia, já que a inflação provavelmente está chegando ao pico, os ganhos permanecerão fortes, e os rendimentos devem continuar um pouco contidos”.

PUBLICIDADE

Os investidores monitorarão de perto os dados da inflação dos EUA a serem divulgados nesta quarta-feira (12), que deve ter aumentado ainda mais em dezembro, pressionando ainda mais o aperto da política econômica do banco central.

“Os riscos de queda prevalecem nos mercados de ações, e as ações em crescimento permanecem no bloco de corte, pois são as mais sensíveis às mudanças nas taxas de juros”, disse Ipek Ozkardeskaya, analista sênior da Swissquote, em comentários por escrito.

--Esta notícia foi traduzida por Bianca Carlos, localization specialist da Bloomberg Línea.

Veja mais em Bloomberg.com

PUBLICIDADE