PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Finanças pessoais

Tiger Global tem perdas de 7% em 2021, primeira queda anual desde 2016

Fundo apanhou nos últimos dois meses, assumindo perdas de 8% e 10,7% em novembro e dezembro

Chase Coleman, fundador da Tiger Global Management
Por Hema Parmar
10 de Janeiro, 2022 | 04:13 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — O fundo de hedge da Tiger Global Management teve perdas de 7% no ano passado. Foi o primeiro prejuízo anual desde 2016, segundo pessoas a par do assunto.

O fundo apanhou nos últimos dois meses, assumindo perdas de 8% e 10,7% em novembro e dezembro, respectivamente, disseram as pessoas. Isso apagou um ganho de 13% que havia construído nos primeiros 10 meses do ano.

PUBLICIDADE

Uma porta-voz da gestora de US$ 100 bilhões de Chase Coleman se recusou a comentar.

Foi a terceira perda anual nas duas décadas de história do fundo de hedge. Uma delas foi a baixa de 15% em 2016 e outra, de 26% em 2008.

O fundo de longo prazo da Tiger caiu 4,2% no ano passado, disse uma das pessoas. A gestora administra US$ 35 bilhões em seus fundos de hedge e long-only, enquanto o restante dos ativos está em sua unidade de capital de risco.

PUBLICIDADE

A Tiger Global informou aos investidores em uma carta que está abrindo os dois fundos para uma quantidade limitada de capital de investidores existentes como parte de um esforço para reforçar posições em ações com desempenho inferior.

Uma das ações que provavelmente prejudicaram os resultados da Tiger foi a da gigante de varejo JD.com Inc., com sede em Pequim, que recuou 20% no ano passado em meio a um aperto regulatório na China. Outra participação importante, a DocuSign Inc., caiu 31%. No mês passado, a empresa de assinatura eletrônica forneceu uma previsão de receita que ficou abaixo das estimativas de Wall Street, alimentando preocupações de que o crescimento diminuirá após um aumento na demanda alimentado por pandemia.

Veja mais em bloomberg.com