PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Internacional

Boric, candidato da esquerda, é o novo presidente do Chile

Com 92,12% das urnas apuradas, Gabriel Boric somava 55,73% dos votos contra o conservador José Antonio Kast, que somava 44,27%

Gabriel Boric vota em Punta Arenas, extremo-sul do país
19 de Dezembro, 2021 | 07:14 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

Santiago — O candidato da esquerda, Gabriel Boric, despontou na frente no segundo turno da eleição presidencial chilena. Com 92,12% das urnas apuradas, Gabriel Boric somava 55,73% dos votos contra o conservador José Antonio Kast, que somava 44,27%. Kast já reconheceu a derrota.

Pela manhã, Boric votou em Punta Arenas, sua cidade-natal, no extremo-sul do país.

PUBLICIDADE

“Confiamos nas instituições do nosso país, por isso já disse que à noite vamos respeitar o resultado, seja ele qual for, sem instalar mantos de dúvida”, disse o candidato da esquerda ao votar.

“Se hoje tivermos que perder, vamos reconhecer. Mas vamos vencer e esperamos o reconhecimento mútuo do nosso adversário “, acrescentou.

Seu adversário, Kast, disse mais cedo que esperava um resultado apertado, abaixo de 50 mil votos.

PUBLICIDADE

“Diante de uma eleição apertada temos que esperar o resultado, resultado é o que sai da Servel, mas se esse resultado for muito apertado, é claro que os fiscais à mesa têm um papel e isso poderia ser definido nos conselhos eleitorais”.

Agora à noite, reconheceu a vitória da esquerda.

Eleição no Chiledfd

A votação, que começou às 8h, transcorreu com tranquilidade, exceto pelas longas esperas nos pontos de ônibus de Santiago, ao meio-dia e à tarde, que causaram desconforto.

A situação foi denunciada pela equipe do ex-dirigente estudantil. Izkia Siches, chefe do comando de campanha de Boric, acusada de um suposto boicote: “Em vista da operação do governo chileno para limitar o transporte público em favor de seu candidato, pedimos a organização de táxis, ônibus e carros compartilhados para a transferência de eleitores. Sempre com máscaras e janelas abertas “.

PUBLICIDADE

A autoridade eleitoral expressou à ministra dos Transportes, Gloria Hutt, sua “preocupação” com a falta de ônibus, principalmente na região metropolitana de Santiago. “O presidente do Serviço Eleitoral, Andrés Tagle, conversou com a ministra Gloria Hutt, onde expressou sua preocupação com a frequência do transporte público, principalmente na Região Metropolitana”, disse a entidade no Twitter.

O Executivo negou a retirada dos ônibus para supostamente favorecer Kast, apoiado por partidos da base do atual presidente Sebastián Piñera. “Dizer que há uma conspiração para fazer menos pessoas votarem é mentir descaradamente”, disse o porta-voz do ministro do Governo, Jaime Bellolio.

Maolis Castro

Maolis Castro

Periodista venezolana en Chile con trayectoria en medios internacionales. Fue corresponsal del diario El País de España en Caracas, y colaboró para ABC, Wall Street Journal, y DW. Trabajó en el site de periodismo de investigación Armando.info.