PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Internacional

Empresas dos EUA aguardam decisão de Biden sobre vacinas

Pesquisa revelou que 32% dos empregadores só planejam implementar regras de vacinação se forem respaldados pela Justiça

Empregadores receiam impor a obrigatoriedade da vacina
Por Jeff Green
30 de Novembro, 2021 | 10:02 am
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — Quase um terço das empresas afirma que só imporá uma exigência de vacina para os funcionários se as regras de “vacinação ou teste” do presidente Joe Biden forem respaldadas pelos tribunais americanos, indicando que as empresas não vão adotar a obrigatoriedade de vacinação a menos que haja uma imposição do governo federal.

Uma pesquisa da Willis Towers Watson divulgada nesta terça-feira revelou que 32% dos empregadores só planejam implementar regras de vacinação se os padrões emitidos pela Administração de Segurança e Saúde Ocupacional (OSHA) entrarem em vigor. Cerca de 18% dos entrevistados já estão impondo a obrigatoriedade e 7% planejam fazê-lo independentemente das diretrizes federais.

A maioria das empresas oferecerá testes semanais para todos os trabalhadores e um quarto exigirá que o pessoal não vacinado pague pelos seus próprios testes, segundo a pesquisa feita com 543 empregadores dos EUA, que em conjunto empregam 5,2 milhões de pessoas.

As questões relacionadas às políticas das empresas estão ganhando certa urgência agora que os EUA enfrentam uma nova onda de casos de Covid-19 e se preocupam com a nova variante ômicron. Os padrões da OSHA, que obriga as empresas com 100 ou mais funcionários a exigir vacinas ou a testar os funcionários semanalmente, estão agendados para entrar em vigor no dia 4 de janeiro. Mas a medida foi suspensa por um tribunal, e no momento, está aguardando revisão jurídica adicional.

PUBLICIDADE

“Os empregadores se sentiriam mais à vontade para estabelecer regras de obrigatoriedade se seus concorrentes também o fizessem”, disse Jeff Levin-Scherz, diretor-gerente de saúde e benefícios da Willis Towers Watson. “Existem muitas empresas que claramente estabeleceriam a regra de obrigatoriedade de vacinas, mesmo sem a opção de teste, se tivessem o respaldo dos padrões temporários de emergência da OSHA.”

Algumas organizações têm relutado em adotar a obrigatoriedade de vacinação por temerem que os funcionários abandonem o emprego em um mercado de trabalho já sob pressão. Mas apenas 3% das empresas que implementaram a exigência tiveram um aumento nas demissões, constatou a pesquisa. Quase metade dos empregadores disse acreditar que exigir a vacina pode ajudar a recrutar e reter trabalhadores.

O apoio está diminuindo para outros incentivos de vacinação. Apenas 2% dos entrevistados relataram ter uma sobretaxa de seguro para trabalhadores não vacinados ou uma redução no prêmio para aqueles que tomarem a vacina. Três quartos dos empregadores entrevistados não oferecem incentivos financeiros para receber a vacina, enquanto 14% encerraram ou irão encerrar tais benefícios.

Veja mais em bloomberg.com

PUBLICIDADE

Leia também

BioNTech, Moderna e J&J trabalham em vacina contra nova variante

Nova York aconselha uso de máscara devido à disseminação da ômicron