Internacional

México passa a exigir visto de brasileiros a partir de 11 de dezembro

Governo mexicano acredita que a medida vai ajudar no combate às redes ilegais de tráfico de pessoas

Paso fronterizo de  EE. UU., México
26 de Novembro, 2021 | 10:42 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg Línea — O México anunciou nesta sexta-feira que suspenderá temporariamente o acordo de isenção de visto para cidadãos brasileiros. A partir de 11 de dezembro de 2021, será solicitado visto a pessoas do país sul-americano que desejam entrar em território mexicano.

A medida vai ajudar, acreditam as autoridades locais, no combate às redes ilegais de tráfico de pessoas. Será implementado um procedimento de autorização eletrônica, gratuita e provisória, para visitantes brasileiros, mas sem autorização para realizar atividades remuneradas.

“Como parte dos esforços do governo do México para ordenar os fluxos migratórios e combater os abusos de redes de organizações criminosas que se dedicam ao tráfico ilícito de pessoas”

publicado em comunicado emitido nesta sexta

O decreto determinou a suspensão temporária do Acordo entre o Governo do México e o Brasil para a Supressão de Vistos em Passaportes Ordinários, que foi assinado na cidade de Brasília, em 23 de novembro de 2000, e entrou em vigor em 7 de fevereiro de 2004.

“Essa decisão se deve ao aumento dos fluxos irregulares já que, infelizmente, os grupos criminosos lucram, com base no interesse dos brasileiros em migrar irregularmente para os Estados Unidos através do México, sob a proteção da facilidade concedida ao referido acordo, para fins diferentes daqueles para os quais foi originalmente estabelecido “, argumenta o governo mexicano.

PUBLICIDADE

O governo do México disse ainda que já está trabalhando em coordenação com as autoridades brasileiras para promover a migração regular e documentada, a fim de ajudar a combater o tráfico e o contrabando de pessoas e restaurar a suspensão de vistos.

Nesse sentido, espera-se que sejam realizadas consultas bilaterais para avaliar o impacto dessa medida em um período não superior a seis meses.

Leia também

EUA impõem restrições de viagens do sul da África por nova variante