promo
Saúde

Singapura pode evitar nova onda de Covid-19, diz ministro

Cerca de 85% dos singapurianos completaram o esquema vacinal, a terceira maior taxa do mundo, segundo o rastreador de vacinas da Bloomberg

Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — Uma das taxas de vacinação mais altas do mundo e crescente imunidade natural poderiam proteger Singapura de uma nova onda de Covid-19 como a enfrentada pela Europa e EUA atualmente, mesmo com a chegada de outro surto como esperado, disse o ministro da Saúde, Ong Ye Kung.

A população imunizada de Singapura tem metade da probabilidade de morrer de Covid do que de gripe, enquanto os que não foram vacinados têm cinco vezes mais chances de se contagiar, disse Ong em entrevista à Bloomberg News na quarta-feira, durante o Asia Summit on Global Health, em Hong Kong. Isso mostra que o vírus pode se tornar endêmico desde que um número suficiente de pessoas suficientes esteja imunizado, afirmou.

Cerca de 85% dos singapurianos completaram o esquema vacinal, a terceira maior taxa do mundo, segundo o rastreador de vacinas da Bloomberg. Aproximadamente 94% das pessoas elegíveis para a vacinação contra a Covid foram imunizadas, disse o Ministério da Saúde, e quase uma em cada quatro já recebeu uma dose de reforço, disse Ong.

“Podemos manter os casos de UTI e mortes o mais baixo possível de forma que não seja diferente de uma onda de gripe?”, perguntou. “Acho possível”, disse. “Mesmo quando for uma onda, podemos enfrentar. Haverá vítimas, mas seremos capazes de abordar isso com a sociedade funcionando normalmente.”

Veja mais: Covid-19: Itália aperta o cerco para não vacinados

O número de pessoas contagiadas com Covid na Europa e em muitas regiões dos Estados Unidos volta a aumentar, com o registro de casos recordes e novas restrições em alguns países. Embora as vacinas protejam contra casos graves, as mortes também aumentam, principalmente entre os não vacinados, e alguns hospitais começam a racionar os cuidados pela primeira vez desde que a pandemia começou há quase dois anos.

Pouco a pouco, Singapura se afasta da estratégia Covid Zero de isolar o coronavírus ao permitir um aumento gradual de casos e abrir a fronteira para diferentes países. Com o relaxamento das medidas de mitigação, o vírus continuará a se propagar, mas vacinações, reforços e outras medidas como o uso de máscaras e distanciamento social manterão o número e a gravidade das infecções baixos, avalia o ministro.

Semanas cruciais

As próximas duas semanas serão críticas para Singapura, disse Ong.

As autoridades só decidirão se aliviarão ainda mais as restrições ou se farão uma pausa na reabertura quando esteja claro o rumo do surto, disse. O país, que tem registrado cerca de 1.500 novos casos por dia - acima dos dois dígitos no início do ano, mas abaixo do pico de mais de 4.500 no mês passado -, recentemente aumentou de dois para cinco o número de pessoas de diferentes famílias que podem se reunir em um restaurante.

“Os casos devem aumentar”, prevê. Por outro lado, segundo ele, o governo também tem administrado doses de reforço a um ritmo “bastante” razoável. “Também estamos vendo mais pessoas se recuperando com segurança e haverá imunidade natural. Com as três medidas implementadas, isso freou o aumento natural das infecções. Teremos que monitorar de perto nas próximas duas semanas, e então saberemos.”

Veja mais em bloomberg.com

Leia também

E-commerce domina novas locações de galpões na América Latina