promo
Agro

Para os italianos, comer macarronada está ficando caro

Aumento generalizado dos preços de alimentos básicos como tomate, macarrão e azeite de oliva encarece prato típico

Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — O aumento dos preços de alimentos básicos como tomate, macarrão e azeite de oliva na Itália significa que cozinhar um prato de espaguete comum acaba de ficar mais caro.

O custo do tomate aumentou 12% no mês passado em comparação a um ano atrás, de acordo com os dados mais recentes do instituto nacional de estatísticas da Itália. Isso depois de um aumento de 18% em setembro.

As massas tiveram um aumento de quase 5% devido a uma seca que reduziu a produção americana de trigo duro, grão usado para fazer farinha para o espaguete, obrigando os produtores italianos a lutar para encontrar o grão precioso.

Secas, interrupções na cadeia de abastecimento e aumento da demanda fizeram com que os preços dos alimentos em todo o mundo aumentassem quase um terço no ano passado, de acordo com os últimos dados das Nações Unidas. Na Itália, os preços gerais dos alimentos estão abaixo do índice de preços ao consumidor devido a quedas sazonais em itens como a laranja, que recuou 8% no mês passado.

Os custos de energia ainda são o maior componente que alimenta a inflação. O crescimento dos preços na Itália deve ficar acima de 2% até meados de 2022, mostra uma pesquisa da Bloomberg com economistas publicada no início desta semana.

Leia também

Ministro vê aumento de importações de gás natural nos próximos 3 anos