Viagens

Disney é a primeira empresa de cruzeiros a exigir vacinas para crianças

A nova política se aplica a todas as viagens com partida a partir de 13 de janeiro de 2022

Passageiros no navio do Disney Dream em Port Canaveral, na Flórida
Por Nikki Ekstein
17 de Novembro, 2021 | 06:32 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — Os dias de levar crianças não vacinadas a bordo de um cruzeiro estão terminando. Nesta quarta-feira, a Disney Cruise Line se tornou a primeira empresa de cruzeiros a apresentar um mandato de vacina para passageiros de 5 anos ou mais.

A política se aplica a todas as viagens com partida em ou após 13 de janeiro. Até então, as regras existentes - que exigem que as crianças apresentem um teste PCR negativo feito antes da partida - continuarão a ser aplicadas.

Sob as restrições atuais, qualquer pessoa que fizer 12 anos dentro de cinco semanas da data de partida tem liberdade de ação e espera-se que disposições semelhantes se apliquem a crianças de 5 anos que comemoram aniversários recentes.

Embora as linhas de cruzeiro geralmente exijam vacinas para todos os hóspedes elegíveis, com pessoas não vacinadas sujeitas a restrições, nenhuma grande empresa de cruzeiros indicou planos para seguir o exemplo da Disney. Apenas uma empresa, a Carnival Corp., respondeu aos pedidos de comentário, dizendo que a decisão de expandir os mandatos da vacina para incluir crianças de 5 a 11 anos seria deixada para os executivos de cada uma de suas nove empresas de cruzeiros.

PUBLICIDADE

Richard Fain, CEO da Royal Caribbean, tem apoiado abertamente os mandatos das vacinas e disse em eventos de mídia que espera exigir para todos os clientes assim que se tornarem elegíveis. No entanto, nenhum plano foi colocado em prática para expandir as políticas atuais da empresa, que atualmente cobrem aqueles com 12 anos ou mais.

“O novo mandato de vacinação da Disney Cruise Line para crianças provavelmente aumentará a confiança do consumidor no segmento familiar, que tem relutado em retornar ao cruzeiro pós-pandemia”, disse Lebawit Lily Girma, repórter de turismo global da Skift, uma publicação do setor de viagens . “É provável que outras linhas de cruzeiro sigam como os cruzeiros planejam retomar as operações e navegar em capacidades maiores em 2022.”

Resta saber como o mandato afetará as operações da Disney Cruise Line, incluindo a reabertura de comodidades populares como seus clubes infantis, que ainda estão fechados de acordo com os protocolos da Covid-19. O porta-voz da empresa não retornou pedidos de comentários. Para os hóspedes que preferirem não cumprir as novas regras, cancelamentos sem taxas serão permitidos até 1º de dezembro.

Veja mais em bloomberg.com