Mercados

Musk acumula venda de US$ 5 bilhões em ações da Tesla

A pessoa mais rica do mundo vendeu mais de 4,5 milhões de ações até agora nesta semana, de acordo com documentos regulatórios, suas primeiras vendas em mais de cinco anos

Aos 50 anos, CEO da Tesla acumula quase US$ 300 bilhões, de acordo com o Bloomberg Billionaires Index
Por Anders Melin
11 de Novembro, 2021 | 12:01 pm
Tempo de leitura: 3 minutos

Bloomberg — O CEO da Tesla, Elon Musk, se desfez de US$ 5 bilhões em ações da fabricante de carros elétricos, pouco depois de alimentar um debate nas redes sociais sobre o tratamento tributário das participações de bilionários.

A pessoa mais rica do mundo vendeu mais de 4,5 milhões de ações até agora nesta semana, de acordo com documentos regulatórios. Essas foram suas primeiras vendas em mais de cinco anos.

Musk, que frequentemente gera polêmica no Twitter, criou uma tempestade de fogo no fim de semana com uma pesquisa perguntando se ele deveria vender parte de sua participação na Tesla. Embora ele tenha retratado sua proposta como tendo a ver com o debate sobre os ultra-ricos evitando impostos, os documentos divulgados na quarta-feira (10) mostram que algumas das transações foram pré-combinadas em meados de setembro - semanas antes da votação. Ele também não mencionou nos tweets que tem milhões de opções de ações que devem ser exercidas antes do próximo mês de agosto, quando expiram.

A pesquisa resultou em uma votação decisiva para a venda de Musk e fez com que as ações da Tesla caíssem 16% nos primeiros dois dias da semana. As ações apagaram quedas ontem (10), fechando em alta de 4,3%. Hoje, os papéis subiam 2,2% nos EUA, a US$ 1.091,53 às 11h35, horário de Brasília.

PUBLICIDADE
Tesla caiu após pesquisa no Twitter sobre se Elon Musk deveria vender açõesdfd

Na segunda-feira, Musk vendeu cerca de US$ 1,1 bilhão em ações para pagar imposto de renda sobre opções de ações que ele também exerceu naquele dia, mostraram dois dos documentos. Na terça e na quarta, efetuou as restantes. Os registros detalhando essas alienações não indicam que elas foram pré-planejadas.

Os documentos não esclarecem se a pesquisa do Twitter de Musk no fim de semana teve qualquer influência em sua decisão de realizar algumas ou todas as transações - ou se ele continuará vendendo até atingir o limite de 10%. Para chegar lá, ele teria que se livrar de cerca de 17 milhões de ações, e ainda mais se ele também incluir opções exercíveis em suas participações totais.

As opções exercidas por Musk vieram de um grande prêmio que ele recebeu em 2012. Os impostos sobre essas transações são geralmente cobertos pela alienação imediata de algumas das ações recém-adquiridas. No início deste ano, Musk disse publicamente que provavelmente exerceria as opções ganhas com o prêmio de 2012 em um futuro próximo.

É possível que os exercícios de opção e vendas relacionadas tenham sido executados independentemente do resultado da enquete, uma vez que foram feitos de acordo com o plano pré-estabelecido. Mas os termos de tais planos não estão sujeitos à divulgação pública e os executivos têm ampla liberdade para cancelá-los ou modificá-los a qualquer momento.

PUBLICIDADE

Os registros regulatórios mostram que o bilionário ainda tem 21,6 milhões de opções exercíveis restantes da outorga de 2012, todas as quais precisarão ser exercidas em algum momento antes de agosto próximo, ou irão expirar.

O referendo do Twitter que ganhou as manchetes atingiu as ações da Tesla na segunda e terça-feira, eliminando US$ 50 bilhões do patrimônio líquido de Musk.

O bilionário vendeu ações pela última vez em 2016, quando exerceu opções e liquidou algumas das ações recém-adquiridas para cobrir cerca de US$ 590 milhões em impostos de renda.

Em seu anúncio da pesquisa de 6 de novembro, Musk escreveu que “ultimamente muito se tem feito com os ganhos não realizados como um meio de evasão fiscal, então proponho vender 10% de minhas ações da Tesla”. Quase 58% dos 3,5 milhões de votos foram a favor de uma venda.

Musk, de 50 anos, acumula quase US$ 300 bilhões, de acordo com o Bloomberg Billionaires Index.

--Com assistência de Andrew Heathcote, Dana Hull e Joanna Ossinger

Veja mais em Bloomberg.com

PUBLICIDADE