PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Green

Reino Unido busca acordo para impedir financiamento de combustíveis fósseis

O apoio, que não é vinculativo, marca uma maior restrição ao fluxo de dinheiro de bancos de desenvolvimento para projetos ligados a petróleo, gás e carvão

Ambientalistas participam de manifestação em Glasgow
Por Jennifer A. Dlouhy e Alberto Nardelli
03 de Novembro, 2021 | 09:24 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — O Reino Unido convocou cerca de 20 nações para se comprometerem a interromper o financiamento de projetos estrangeiros envolvendo combustíveis fósseis, embora uma vitória diplomática nesse sentido provavelmente será ofuscada pela ausência da China e do Japão.

PUBLICIDADE

Uma declaração de uma página deverá ser divulgada nesta quinta-feira nas negociações climáticas da COP26 em Glasgow, de acordo com pessoas a par do assunto.

O apoio não é vinculativo e ainda permitiria algum suporte limitado para empreendimentos de combustíveis fósseis estrangeiros. Mas marca uma maior restrição ao fluxo de dinheiro de bancos de desenvolvimento estatais para financiar projetos ligados a petróleo, gás e carvão.

PUBLICIDADE

A vitória dos anfitriões britânicos nas negociações sobre o clima é apenas parcial, já que o acordo deve excluir alguns dos maiores financiadores de projetos estrangeiros de combustíveis fósseis, incluindo Japão, Coréia do Sul e China. E o pacto só se aplicaria a novos financiamentos públicos diretos para projetos de energia de combustíveis fósseis ininterruptos - com exceções em “circunstâncias limitadas e claramente definidas”.

Os países e quatro instituições financeiras que assinaram o comunicado devem incluir Canadá, EUA e Dinamarca - que anunciou um plano semelhante na quarta-feira.

O Reino Unido também anunciará paralelamente uma promessa de vários países e instituições para eliminar a energia do carvão, disse o governo em um comunicado. Embora os detalhes ainda não estejam claros, 18 países se comprometerão, pela primeira vez, a eliminar o carvão - nas décadas de 2030 e 2040. O plano parece ficar aquém da ambição inicial da COP, encampada pelos anfitriões do Reino Unido, de “deixar o carvão para a história”.

Tanto o G-7 quanto o G-20 já concordaram em parar de financiar projetos de carvão no exterior. O Reino Unido, os EUA e a União Europeia já anunciaram restrições ao financiamento estrangeiro de combustíveis fósseis.

A nova iniciativa sobre o financiamento de combustíveis fósseis no exterior deve forçar muitos a ir mais longe: os EUA, por exemplo, teriam que bloquear o financiamento de bancos de desenvolvimento regionais, como o US Export-Import Bank e o US International Development Finance Corp., disse uma das pessoas .

PUBLICIDADE

As finanças públicas internacionais agora estão desequilibradas em favor de projetos fósseis. Em 2020, o Grupo dos 20 sozinho contribuiu com quase US$ 600 bilhões para projetos de petróleo, gás e carvão, de acordo com estimativas da BloombergNEF.

A COP não respondeu a um pedido de comentário.

--Com assistência de Alex Morales e Jessica Shankleman.