PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Mercados

BC revela que cogitou acelerar alta da Selic e juros sobem

DI janeiro de 23 bateu 12,49% após divulgação da ata do Copom; mercado já precifica nova alta de 1,5 ponto na Selic em dezembro

Alta da Selic poderia ter sido maior que 1,5 ponto, revela ata do Copom
03 de Novembro, 2021 | 11:02 am
Tempo de leitura: <1 minuto

São Paulo — A ata do Copom (Comitê de Política Monetária) revelou que a autoridade monetária cogitou elevar a Selic acima do 1,5 ponto percentual do último aumento e isso reverberou imediatamente no mercado na forma de um aumento dos juros DI.

Na semana passada, a Selic foi elevada a 7,75% ao ano. Às 10h45, o cenário era o seguinte:

  • Dólar a R$ 5,6934 (+0,23%)
  • DI janeiro de 2022: 8,424% (+0,41 p.p.)
  • DI janeiro de 2023: 12,49% (+1,13 p.p)
  • DI janeiro de a 12,65% (+0,48%)

Veja também: De olho no Fed e precatórios, Ibovespa opera no vermelho

Na ata divulgada nesta quarta-feira (3), o colegiado afirma que avaliou “cenários com ritmos de ajuste maiores que 1,50 ponto percentual”, mas a decisão não foi tomada porque o Copom considerou que “trajetórias de aperto da política monetária com passos de 1,50 ponto percentual, considerando taxas terminais diferentes, são consistentes, neste momento, com a convergência da inflação para a meta em 2022, mesmo considerando a atual assimetria no balanço de riscos”.

PUBLICIDADE

Leia também

5 empresas que anunciaram bons dividendos em meio à baixa da bolsa

7 fatos para você entender a COP-26, a conferência do clima

Kassab: “É o voto útil que vai viabilizar a terceira via”

Graciliano Rocha

Graciliano Rocha

Editor da Bloomberg Línea no Brasil. Jornalista formado pela UFMS. Foi correspondente internacional (2012-2015), cobriu Operação Lava Jato e foi um dos vencedores do Prêmio Petrobras de Jornalismo em 2018. É autor do livro "Irmã Dulce, a Santa dos Pobres" (Planeta), que figurou nas principais listas de best-sellers em 2019.