PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Saúde

Vacinação pode ajudar a acalmar alta dos preços no mundo, diz diretora do FMI

Georgieva disse que diferença de vacinados em países emergentes e desenvolvidos precisa diminuir para produção voltar ao normal

Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg News — A diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional, Kristalina Georgieva, disse que vacinar o mundo ajudará a garantir que a alta da inflação seja temporária, e expressou preocupação de que o hiato de crescimento entre as economias avançadas e emergentes poderia estimular agitação social.

Para reduzir a inflação, Georgieva pediu um “foco na redução dessa divergência: vacinar o mundo para que possamos ver a produção em todos os lugares aumentando”.

PUBLICIDADE

“Se a divergência continuar, veremos mais agitação”, disse Georgieva em uma entrevista com Francine Lacqua, da Bloomberg TV da conferência COP-26 em Glasgow, reiterando a vacinação generalizada contra Covid-19 como uma solução.

As interrupções na cadeia de suprimentos devem se estender até meados de 2022 ou mais, o que está pressionando os preços para cima, e os bancos centrais já estão começando a tomar medidas contra a inflação, disse Georgieva.

Separadamente, Georgieva enfrenta descontentamento de funcionários do FMI após alegações de que ela influenciou indevidamente os dados a favor da China enquanto trabalhava no Banco Mundial em 2017 - um escândalo que a forçou a lutar para manter seu emprego no mês passado - e um relatório da Bloomberg News de que ela e outros gestores de alto escalão suavizaram a linguagem sobre mudança climática em um relatório do Brasil.

PUBLICIDADE

Questionada se ela se preocupa com sua credibilidade junto aos funcionários do FMI, Georgieva respondeu que “a equipe estava e continua preocupada”.

“Essa não é uma questão menor, se temos total integridade do trabalho que fazemos”, disse ela. “Felizmente no FMI, respeitamos a qualidade do nosso relatório. Eu me envolvi com a equipe, tivemos duas reuniões. Já respondi a muitas perguntas que as pessoas têm em mente e, é claro, continuarei a fazê-lo. "

Leia também

Mercados externos operam voláteis enquanto olham bancos centrais e dados macro

PUBLICIDADE