PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Finanças pessoais

Pimco: Ambiente macro ‘desconhecido’, volatilidade e ‘armadilhas’ no front

A gestora de recursos divulgou um relatório na quarta-feira alertando que nos próximos cinco anos a economia global verá um ambiente de crescimento e de inflação mais incerto e desigual

Armadilhas para formuladores de políticas, como Jerome Powell, do Fed
Por Hema Parmar e Veronica Graff
20 de Outubro, 2021 | 03:01 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — Se você acha que os mercados financeiros têm estado estranhos nos últimos 18 meses, espere. O que temos pela frente é um ambiente macroeconômico desconhecido que está passando por mudanças dramáticas, diz a Pacific Investment Management (Pimco).

A gestora de recursos divulgou um relatório na quarta-feira alertando que nos próximos cinco anos a economia global verá um ambiente de crescimento e de inflação mais incerto e desigual, “com muitas armadilhas para os formuladores de políticas”.

PUBLICIDADE

Maior volatilidade macroeconômica e também dos mercados provavelmente significará retornos mais baixos para renda fixa e ações, de acordo com a Pimco, que administra cerca de US$ 2,2 trilhões em ativos. Mas, embora os retornos gerais do mercado de capitais provavelmente sejam menores, o aumento da volatilidade deve significar uma oportunidade para gestores de fundos ativos, diz o relatório.

Os mercados já estão se preparando para a perspectiva de que os principais bancos centrais em breve começarão a retirar o apoio de emergência fornecido durante a pandemia de Covid. Há uma expectativa ampla de que o Federal Reserve comece a desacelerar a compra de ativos no próximo mês, enquanto os riscos de inflação continuam sendo uma grande fonte de inquietação.

Em meio a isso, uma série de alterações estruturais de longo prazo estão entrando em campo, incluindo uma mudança global em direção ao uso de mais energia verde, uma maior adoção de tecnologias de automação e maior atenção às desigualdades de riqueza global.

PUBLICIDADE

Tendências disruptivas e políticas mais intervencionistas podem tornar os ciclos econômicos mais curtos em duração, porém maiores em amplitude, e com mais variação entre os países, segundo relatório da Pimco assinado por Joachim Fels, Andrew Balls e Daniel Ivascyn. Períodos de inflação muito mais alta e muito mais baixa são mais prováveis, escreveram eles.

O apoio sem precedentes dos bancos centrais inflou os preços dos ativos e pode ter contribuído para vulnerabilidades de médio e longo prazo do mercado financeiro, disse a gestora de recursos. A Pimco espera que os juros baixos continuem e ancorem os mercados de renda fixa globalmente.

Veja mais em bloomberg.com

Leia também

Fundação Gates quer acelerar acesso à pílula contra Covid da Merck

Na Colômbia, café tem gosto brasileiro

Regras da UE para internet devem ser adiadas mais uma vez, para 2022

PUBLICIDADE