PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Internacional

Rússia oferece ajuda para crise do gás na Europa, mas faz lobby por gasoduto

Uma rápida certificação do controverso gasoduto de gás natural Nord Stream 2 seria uma forma de conseguir isso, de acordo com o vice-primeiro-ministro Alexander Novak

Putin
Por Olga Tanas e Elena Mazneva
06 de Outubro, 2021 | 10:24 pm
Tempo de leitura: 4 minutos

Bloomberg — Com o inverno se aproximando rapidamente e um impressionante aumento no preço da energia atingindo a Europa, o presidente russo Vladimir Putin escolheu um momento oportuno para usar a influência de seu país como uma superpotência de petróleo e gás.

Em um dia caótico em que o gás de referência europeu aumentou 40% em poucos minutos, Putin diminuiu os preços oferecendo ajuda para estabilizar a situação. A Rússia pode exportar volumes recordes do combustível vital para o continente neste ano, disse ele.

Uma rápida certificação do controverso gasoduto de gás natural Nord Stream 2 seria uma forma de conseguir isso, de acordo com o vice-primeiro-ministro Alexander Novak.

O Nord Stream 2 está concluído sob o Mar Báltico entre a Rússia e a Alemanha, mas está vinculado a um processo de licenciamento longo, complicado e altamente politizado. Embora o próprio Putin não tenha vinculado diretamente os suprimentos adicionais à aprovação do oleoduto, ele observou que outra rota importante para as exportações russas para a Europa, a Ucrânia, era mais cara e poluente.

PUBLICIDADE

“Vamos pensar no aumento potencial da oferta no mercado, só precisamos fazer isso com cuidado”, disse Putin em uma reunião televisionada na quarta-feira.

A crise energética da Europa está afetando os mercados de ações e títulos, estimulando temores de inflação e ameaçando paralisar grandes indústrias. Os governos da região estão lutando para responder, com pouco mais do que esperanças de um inverno ameno para amortecer o golpe.

Os suprimentos menores do que o esperado da Rússia, o maior fornecedor da região, têm sido uma das principais causas da terrível situação, de acordo com algumas autoridades europeias.

Putin enfatizou que a estatal Gazprom PJSC cumpriu todos os seus contratos de fornecimento e seu país não deseja ver o “frenesi especulativo” que está atualmente dominando os mercados.

PUBLICIDADE

“A Rússia sempre foi e é um fornecedor confiável de gás para seus consumidores em todo o mundo - tanto para a Ásia quanto para a Europa, e sempre cumpre integralmente todas as suas obrigações”, disse ele.

As exportações da Gazprom PJSC para a Europa nos primeiros nove meses do ano foram próximas do máximo histórico, de acordo com a empresa. Se esse ritmo for mantido pelo resto de 2021, será um ano recorde, disse Putin.

As exportações diárias da Gazprom para a Europa estiveram perto de um volume recorde no início deste ano, mas caíram em setembro em meio ao aumento da demanda doméstica devido ao início precoce do período de aquecimento. A empresa também continua sua campanha armazenamento, que está programada para terminar em 1º de novembro.

Estabilizar mercados

Putin pediu a seu governo e executivos de energia propostas sobre como estabilizar o mercado de energia, e Nord Stream 2 não foi a única proposta. Novak, ex-ministro da Energia e um dos arquitetos da OPEP+, também sugeriu a venda de alguns volumes adicionais na própria plataforma eletrônica da Gazprom com sede em São Petersburgo.

No entanto, o destino do Nord Stream 2 está cada vez mais interligado com a situação na Europa. O recuo de setembro nas exportações da Rússia, o que implicou um menor fornecimento através de rotas via Ucrânia e Polônia, gerou críticas de que o país estava retendo suprimentos para forçar uma aprovação mais rápida do oleoduto.

Putin disse que a Gazprom enviará mais gás via Ucrânia do que foi contratado este ano. No entanto, ele também falou sobre a adequação do país como rota de trânsito, dizendo que os novos sistemas de oleodutos da Rússia sob os mares Negro e Báltico - que incluem o Nord Stream 2 - são econômica e ambientalmente superiores.

PUBLICIDADE

O transporte de volumes maiores de gás pela Ucrânia é “economicamente não lucrativo para a Gazprom, porque é mais caro”, disse Putin. “O fornecimento por meio de novos sistemas de dutos que foram comissionados nos últimos anos e estão sendo comissionados agora reduz a quantidade de emissões de CO2 na atmosfera em 5,6 vezes.”

Putin disse que a atual crise do mercado é resultado de uma recuperação econômica mais rápida em todo o mundo, que “aqueceu” a demanda por energia. Um inverno inesperadamente longo e frio esgotou o armazenamento de gás da Europa, disse ele.

No entanto, ele também destacou um “erro” cometido pelas autoridades europeias ao mudar de contratos de longo prazo tipicamente favorecidos pela Rússia para vendas de curto prazo nas bolsas da região.

“Hoje se tornou absolutamente óbvio que essa política está errada”, disse Putin. “Como resultado, agora o preço do gás quebrou todos os recordes históricos e hoje já está se rumando para US$ 2.000 por 1.000 metros cúbicos.”

PUBLICIDADE

-- Com a assistência de Dina Khrennikova, Andrey Biryukov e Javier Blas.

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também:

Riscos do trabalho em casa e novos negócios para a segurança cibernética

Twitch da Amazon é hackeada, expondo código-fonte e pagamentos a criadores