promo
Brasil

Campos Neto diz que pico da inflação foi em setembro

Autoridade monetária vê tendência de desaceleração do indicador nos próximos meses

Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — A inflação anual do Brasil provavelmente atingiu o pico em setembro e agora vai desacelerar para a estimativa de 8,5% no final de 2021, de acordo com o presidente do banco central, Roberto Campos Neto.

“Acho que a alta será em setembro”, disse Campos Neto em evento organizado pelo Morgan Stanley na sexta-feira, acrescentando que os preços tendem a se “acomodar” no futuro.

A inflação anual ultrapassou 10% em meados de setembro pela primeira vez desde 2016, com o aumento dos preços dos combustíveis e alimentos. Os dados de inflação de setembro serão divulgados dia 8 de outubro, com analistas consultados pela Bloomberg esperando que a taxa anual acelere de 9,68% para 10,2% no mês anterior.

Diante da recente alta dos custos das commodities, principalmente do petróleo, Campos Neto disse que esses aumentos não têm sido lineares e que há grande probabilidade de que os preços se estabilizem. Na ata de sua última reunião, os legisladores escreveram que commodities mais baratas, resultantes do impacto das variantes do Covid-19 nas economias asiáticas - poderiam contribuir para uma inflação mais lenta no futuro.

Veja mais em bloomberg.com

Leia também

Brasília em Off: Temor é que auxílio dure até o final de 2022

Bolsonaro busca redução em imposto sobre diesel e gás para conter inflação