Tech

Amazon lança Astro, robô doméstico controlado por voz

Novo assistente pode patrulhar a casa de forma autônoma e responder a comandos de voz; ele vai custar US$ 1.000 para compradores convidados ainda este ano

Câmeras embutidas ajudarão o robô a mapear seu ambiente e a se mover, e também inclui um periscópio para expandir seu campo de visão
Por Matt Day e Mark Gurman
29 de Setembro, 2021 | 03:07 pm
Tempo de leitura: 3 minutos

Bloomberg — A Amazon apresentou na última terça-feira (28) um robô doméstico chamado Astro. Trata-se de uma tela sobre rodas que funciona com o software de voz Alexa, também da empresa.

O bot, divulgado pela primeira vez pela Bloomberg, que estava em desenvolvimento em 2018, foi exibido em um evento de produtos da Amazon ontem. Ele cuidava dos animais de estimação enquanto um usuário estava fora e acompanhava uma criança pela casa durante uma chamada de vídeo. Ele pode patrulhar a casa de forma autônoma e responder a comandos de voz. Vai custar US$ 1.000 para compradores convidados ainda este ano.

A tela do dispositivo, que por padrão exibe um par de círculos para imitar os olhos, é capaz de se locomover cerca de um metro por segundo. Câmeras embutidas ajudam o robô a mapear seu ambiente e a se mover. O Astro também inclui um periscópio para expandir seu campo de visão.

“Os clientes não querem apenas uma Alexa sobre rodas”, disse Dave Limp, chefe de dispositivos e serviços da Amazon. “Nós incorporamos no Astro uma personalidade singular, que é própria dele.”

PUBLICIDADE

Limp afirmou que o robô faz parte de um programa da Amazon que propicia o uso de dispositivos que ainda estão em fase de desenvolvimento. O Astro será vendido apenas para convidados por um preço inicial de US$ 1.000. Depois disso, custará US$ 1.500, informou a empresa. As ações da IRobot, fabricante dos aspiradores Roomba, tiveram ligeira queda ontem (28).

A empresa sediada em Seattle percorreu um longo caminho como player de hardware desde uma incursão fracassada em smartphones há alguns anos. A Amazon construiu um enorme negócio de eletrônicos em torno de seus alto-falantes inteligentes Echo controlados por voz e do software Alexa, que o acompanha. Nos últimos anos, lançaram novos produtos, como parte de um esforço para se posicionar no centro do crescente mercado de aparelhos para casas inteligentes.

A empresa não divulga resultados financeiros ou operacionais de seu grupo de dispositivos e serviços, mas a Euromonitor International estima que a linha de gadgets da Amazon seja a terceira marca mais vendida nos Estados Unidos em vendas por unidade, atrás apenas da Apple e da Samsung Electronics.

A grande maioria dos produtos, no entanto, são aparelhos relativamente baratos, como ferramentas de streaming de TV Fire ou alto-falantes Echo em miniatura. Com o Astro, a Amazon, uma empresa com reputação de hardware e utilitário, está diante de seu maior teste até agora: vender um produto premium com um preço exorbitante.

PUBLICIDADE

Várias das outras atualizações da Amazon anunciadas na terça-feira, desde o monitoramento profissional de câmeras de vídeo Ring a um aplicativo de atendimento a idosos e novas vozes para Alexa, foram voltadas para adicionar serviços pagos ou de assinatura aos produtos populares da Amazon.

Os produtos e serviços mais recentes incluem:

  • Um termostato inteligente em parceria com a Honeywell International. O dispositivo de US$ 60, que será vendido por apenas US$ 10 com descontos, é um potencial concorrente do Google Nest da Alphabet
  • Um dispositivo Echo com uma tela de 15 polegadas montada na parede que pode transmitir Prime Video e Netflix, exibir calendários e vem com um chip personalizado para ajudar a processar comandos de voz.
  • Uma parceria com a Walt Disney para colocar dispositivos Echo nos parques temáticos e hotéis da empresa. Esperados no próximo ano, eles serão equipados com um novo software, chamado Hey, Disney!, desenvolvido com a tecnologia por trás do Alexa, da Amazon. Isso permitirá que os visitantes interajam com os personagens da Disney e convoquem Alexa para outras tarefas. Pessoas com dispositivos Echo em casa também poderão comprar a funcionalidade para seus próprios dispositivos.
  • Uma nova versão de seu rastreador de fitness, chamado Halo View, que incorpora uma pequena tela pela primeira vez. Vai custar US$ 80, diz a Amazon. Um novo serviço, denominado Halo Fitness, tem como alvo os principais usuários de dispositivos usados no pulso. As ações da Peloton caíram com a notícia.
  • Glow, um dispositivo que combina uma tela de 8 polegadas para vídeo chat com um projetor que exibe imagens em uma área de projeção “sensível ao toque” de 19 polegadas adjacente. O campo é para que as crianças se conectem com seus entes queridos, fazendo quebra-cabeças ou desenhando juntas. Disponível apenas para convidados, o dispositivo custa US$ 250.
  • A Ring está indo além de suas raízes na segurança doméstica do tipo “faça você mesmo”, lançando um conjunto de produtos voltados para o mercado de serviços de segurança profissional.

A unidade de dispositivos da Amazon tem sido um alvo frequente de críticas, de defensores da privacidade que questionam a sabedoria dos microfones sempre ligados em casa e grupos de liberdades civis alarmados com as parcerias de Ring com departamentos de polícia e práticas de segurança. Essas dúvidas não atrapalharam as vendas da Amazon.

Enquanto isso, a empresa tem trabalhado para aprimorar suas credenciais de privacidade, oferecendo aos usuários do Alexa opções para excluir gravações de voz capturadas por dispositivos da Amazon, criptografando vídeos capturados por Ring e pedindo aos departamentos de polícia que solicitem publicamente as imagens que desejam para investigações. Uma atualização anunciada na terça-feira e chegando a alguns dispositivos Echo permitirá o processamento de comandos do usuário no próprio dispositivo, eliminando a necessidade de transmitir esses dados para os servidores da Amazon.

A Amazon anunciou no início deste mês sua primeira linha de televisores, bem como uma atualização de sua linha de leitores eletrônicos Kindle. A Bloomberg News informou na semana passada que a Amazon estava trabalhando em um Echo maior com uma tela montável na parede, uma barra de som de TV e uma tecnologia de alto-falante inteligente mais avançada para uso em carros. A empresa também considerou desenvolver um dispositivo para vestir com tecnologia Alexa para crianças.

Em um vídeo que acompanha a apresentação da Amazon, o executivo de dispositivos Charlie Tritschler descreveu o ímpeto para começar a desenvolver o robô Astro. “Em uma das reuniões da alta administração, conversamos sobre: ’Alguém na sala acha que em cinco, 10 anos, você não terá robôs em sua casa?‘”, disse Tritschler. “E todo mundo fica tipo ’sim, vamos‘. Então dissemos: ’Bem, vamos começar‘”.

PUBLICIDADE

Gregg Zehr, presidente da Lab126, unidade de hardware skunkworks da Amazon, acrescentou: “Este é nosso primeiro robô, não nosso último robô.”

Leia também

Apesar de mais caro, brasileiro vai comer mais frango em 2022

China busca reduzir risco e compra fatia em banco da Evergrande

Biden é ofuscado por obstáculos de agenda no Congresso

PUBLICIDADE