ESG

Promoções de negros para gerência do Walmart desaceleram nos EUA

Funcionários afro-americanos e negros responderam por 13,5% das promoções da empresa no primeiro semestre deste ano fiscal

Varejista reservou US$ 100 milhões para criar um centro de equidade racial e aprimorou a divulgação de estatísticas sobre diversidade
Por Matthew Boyle
27 de Setembro, 2021 | 05:16 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — Os esforços do Walmart para aumentar a diversidade racial nos cargos de alto escalão estão desacelerando, segundo novos dados que mostram redução dos índices de promoção de trabalhadores negros.

O maior empregador privado dos Estados Unidos disse que funcionários afro-americanos e negros responderam por 13,5% das promoções nos EUA no primeiro semestre deste ano fiscal, segundo relatório sobre diversidade divulgado na sexta-feira. O número se compara a 14,1% no fim do ano passado e a 17,2% em meados de 2020. O dado inclui funcionários promovidos de cargos com salários por hora a gerentes, bem como gerentes promovidos a postos mais altos.

A queda destaca os desafios que funcionários negros ainda enfrentam ao tentarem subir na hierarquia corporativa, apesar das promessas generalizadas de reduzir as desigualdades raciais após o assassinato de George Floyd no ano passado.

Veja mais: Magalu reabre trainee para negros com salário de R$ 6,8 mil

PUBLICIDADE

Ao contrário de outras grandes empresas dos EUA, o Walmart não anunciou metas específicas para a representação de mulheres ou minorias no alto escalão. A varejista reservou US$ 100 milhões para criar um centro de equidade racial e aprimorou a divulgação de estatísticas sobre diversidade, que agora são publicadas duas vezes ao ano.

“Embora estejamos animados pelo crescimento de nossa representação negra e afro-americana em nossa equipe de liderança, reconhecemos que estamos em uma jornada e temos mais trabalho a fazer”, disse a porta-voz do Walmart, Melissa Hill.

Em pesquisa interna no final do ano passado, alguns gerentes negros do alto escalão do Walmart disseram que avançar na carreira é difícil na rede de varejo e que não recomendariam trabalhar no grupo. A maioria dos entrevistados deu classificações medianas sobre satisfação na carreira.

Apesar dos funcionários negros receberem uma proporção menor das promoções, a parcela de executivos do Walmart - aqueles no nível de vice-presidente ou acima - que se identificam como afro-americanos ou negros subiu de 6,9% há um ano para 9,1%. Trabalhadores negros representaram 28,7% de todas as novas contratações nos Estados Unidos, um pouco acima do ano anterior.

PUBLICIDADE

Veja mais em bloomberg.com

Leia também

Aposta da reabertura retorna com maior exposição de hedge funds

PUBLICIDADE